Número total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Dominical de 28 Dezembro 2014, o outro, o do Parque das Nações

Crónica de MontiNando

Último passeio de 2014
Versão 2 (Soft)
28-12-2014

Hoje foi dia de bom Quórum no seio dos Montibikers, pois foi possível haver dois grupos para diferentes passeios.
Os presentes estavam todos à hora marcada, houve propostas de trilhos, ficando escolhido o do MontiCadilha e iniciando o passeio passados 10 minutos.
Um dos intervenientes (MontiEmídio), não estando nas melhores condições ainda para altos montes, avisou que iria fazer um passeio mais soft. Eu (MontiNando), ponderando seriamente sobre a minha condição física, não estar nas melhores condições para o andamento dos novos Benjamins, sugeri juntar-me ao MontiEmídio e fazer-lhe companhia no passeio.
Todos concordaram e lá se dividiu o grupo em dois, uns foram para os Montes e os outros para o Asfalto. Os que foram para os Montes terão a sua crónica feita por o MontiCadilha, os que foram para o Asfalto, eu próprio (MontiNando) vou aqui relatar.
Após a divisam do grupo na rotunda grande da Póvoa, seguimos via estrada Nacional 10, fazendo o desvio no cruzamento de Santa Íria, para a IC2. Claro que não fomos pela IC2, mas sim na estrada paralela a ela. Sempre com boa disposição, demonstrada no filme, chegámos ao local perto do Rio Trancão (por baixo dos Viadutos), onde fomos espreitar o mais perto possível da berma do Rio. Essa tarefa não foi conseguida devido ao terreno não estar nas melhores condições para isso.
Partimos novamente, passando por cima da linha férrea, através da sua ponte pedonal, rumo à Expo. Já estava planeado o sítio onde íamos tomar um belo pequeno-almoço, seria no café apelidado pelos nossos amigos Nautibikers de “MAMALHUDA”, seria também o ponto de retorno do nosso passeio. Entretanto pelo caminho, falámos sobre alguma saudade de ter nos nossos passeios, o nosso amigo Centeno dos Nautibikers.
Passámos no passadiço junto ao rio Tejo, na Expo e parando para umas fotos num dos pontões, aí havia da minha parte a preocupação de substituir as pilhas do GPS, as quais deparei depois de ligar o aparelho, que estavam sem carga (nunca mais aprendo), também foi aí que ao tirar uma foto ao MontiEmídio, tive de tirar uma das luvas (pois o ecrã do telemóvel dele não reage sem ser com pele humana) e sem querer caiu ao rio, ficando eu a ver ela a boiar e a ser levada pela corrente.
Voltámos novamente ao caminho, atravessando a Expo e chegando à Marina, vimos que tínhamos de contornar os prédios para chegar ao café. Antes dele ainda fizemos uma incursão à torre demonstrativa de que tinha existido ali nesse espaço a fábrica de gás de Lisboa (espero não estar a enganar ninguém com esta informação, se estiver peço que seja emendada), tirámos mais umas fotos e logo a seguir chegámos ao café da “MAMALHUDA”. Ainda bem que lá fomos, por dois motivos: 1º pelo facto de não podermos ir lá no 1º dia do ano e 2º pela surpresa que iriamos ter depois de lá estar.
Pedimos então cada um, o belo do galão mais um bolinho, para termos força no regresso. Depois de termos degustado o belo pequeno-almoço e eu ter-me afastado para ir ao sanitário, eis que surge ao pé do MontiEmídio a nossa surpresa, nada mais, nada menos, que o nosso amigo Centeno dos Nautibikers, de que nós já tínhamos falado durante o passeio.
Estivemos ainda algum tempo a conversar, a tirar fotos e a degustar um bom café, surgiu na conversa uma ideia de fazermos dois passeios com a companhia dos Nautibikers, um até Santarém e volta, com um belo almoço pelo meio e outro por terras de Chaves junto á fronteira.
Penso que podíamos ponderar sobre este assunto, a partir já do próximo ano.
Foi com alguma pena que tivemos que nos despedir, pois tanto ele, como nós, ainda tínhamos de fazer o regresso. Entretanto pelo caminho foi aparecendo aquela chuva miudinha e quando estávamos junto da fábrica do Açúcar, o MontiEmídio lembrou-se de telefonar ao MontiFélix, para ver se ele estava disponível para bebermos alguma coisa no café, perto da casa dele. Respondeu que estava nesse preciso momento a chegar a casa, e perguntou onde nos encontrávamos. Respondemos que estaríamos ao pé dele, dentro de 10 minutos, e assim foi, quando chegámos encostámos logo ao balcão para beber um digestivo, e brindarmos à nossa saúde e a uma boa passagem de ano.
Após um pouco convívio, tivemos de nos despedir, pois já estava na hora de almoçar.
Assim foi mais um passeio efectuado por nós, sempre com alegria e boa disposição, sendo isto sempre um dos lemas do nosso grupo.
Abraikes e até ao próximo passeio.                                                                                                      


 O Filme de MontiNando

as Fotos




Dominical de 28 Dezembro de 2014

O Track

Acabamos o pedalanço em 2014 com um Dominical de alto nível. Pena foi o tempo não nos ter possibilitado subir ao alto da pedreira da Cimpor para fazermos a grande descida até Alhandra.
Este Dominical começou com 6 MontiBikers por volta das 8:45h um “pelotão” que à muito não se verificava. Mas, pois à sempre um mas, dois MontiBikers abandonaram-nos na rotunda dos Caniços. MontiEmídio ainda não se encontra no seu melhor para nos acompanhar pelos montes e o MontiNando fez-lhe companhia ao Parque das Nações porque a sua barriguinha anda um pouco “inchada” e subir ainda não é com ele.
Assim os Montis, Nuno, Rui, Luís e Cadilha despediram-se do duo e lançaram-se para os montes para uma manhã de pedalanço de bom nível.
Hoje seriam três Gopros a fazer os registos deste Dominical, MontiNando faria a reportagem no Parque e MontiNuno mais MontiCadilha nos montes, fantástico.
O duo do Parque das Nações ainda tiveram um encontro inesperado com o nosso amigo RuiBiker dos NautiBikers, no café da “mamalhuda”, não sei quem lhe deu este nome.
E pelas fotos registadas verificamos também que encontraram o MontiFélix num café algures em ... não sei.
Portanto fica registado que o Dominical teve uma participação de sete Montis. 7*******.
Vamos então às imagens que por ser as últimas do ano e devido aos belos trilhos que foram percorridos são um pouco mais longas.
Tenham um Bom Ano Novo e Um 2015
 com tudo do Melhor
Abraikes
As Fotos

O Filme de MontiCadilha

O Filme de MontiNuno




terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Uma ída aos trilhos do Parque do Jamor

O Track


Devido à época Natalícia esta crónica surge com um ligeiro atraso. A azáfama tem sido grande e o tempo parece que vôa mais rápido que uma descida dos nossos trilhos.
Mas cá está ela e com um conteúdo diferente do habitual. Isto porque desta vez o dominical foi ir a um sítio nunca antes visitado por mim, o parque do Jamor.
O desafio tinha sido lançado por MontiNuno e a ele responderam três Montis, Luís, Rui e Cadilha. MontiRui juntar-se ía ao trio no Cais Sodré, vinha de Oeiras.
A saída no ponto de encontro foi às 8:40 e percorremos o percurso sempre por estrada em bom ritmo.
Antes de entrarmos no Jamor fomos aos pastelinhos de Belém adocicar a boca na companhia de um café. Seriamos solicitados por um grupo de turistas asiáticos para uma sessão fotográfica e só depois seguimos para o Jamor.
Foi a primeira vez que percorri os trilhos deste parque de bike.  Single tracks rasgados pela malta do downhill desta vez percorridos pelos MontiBikers.
Depois de percorridos alguns trilhos estava na hora do regresso ainda tinhamos pela frente perto de 40km. Os Montis Rui e Nuno iam para Oeiras e para Alverca regressavamos agora o duo Luis e Cadilha. Despedidas feitas e quarteto desfeito.
O tempo desta manhã de dominical esteve bastante agradável excluindo claro o pequeno frio matinal que se fez sentir.
Chegamos a Alverca às 13:40 depois de percorridos 86km e no que me toca com uma pequena fadiga nas pernas, o vento no regresso acompanhou-nos um pouco e isso teve reprecussões, ou seja, preciso de mais andamento e treinos no ginásio para quando chegar a altura dos grandes eventos não haver surpresas.
A todos os MontiBikers e Amigos frequentadores deste nosso blog um Desejo de
Feliz Natal e Um Bom  Ano Novo
Com Muita Saúde e Felicidade

Abraikes

As Fotos

O Filme



domingo, 14 de dezembro de 2014

Rota das Tasquinhas do Grupo BTT APOGMA - estivemos lá

O Track

O track não está completo, falta a parte inicial, não ficou registado porque esqueci-me de ligar o GPS e só no final do Parque Linear dei pela falta, as minhas desculpas.

Neste dominical estivemos na Rota das Tasquinhas do grupo de BTT APOGMA. Três Montis marcaram presença, Victor, Nuno e Cadilha.
Por volta das 8:40h saímos para percorrer cerca de 30km fazendo visita a cinco Tasquinhas.
Grupo muito animado com presenças Natalícias, muitas “renas” e um Pai Natal com um saco de prendas vazio, não chegamos a saber se já tinha entregue as prendas ou se ainda as ía buscar. Também não faltou música durante todo o percurso a animar o pelotão.
Depois de um sábado chuvoso fomos brindados com uma manhã de sol e temperatura muito agradável.
Passamos pelo Parque Linear e depois de atravessarmos as quintas de Vialonga, com alguma lama e muita água, chegamos à primeira Tasquinha na Granja. A segunda Tasquinha a ser brindada com a nossa visita foi na Verdelha de Cima depois de passarmos por Vialonga.
No Bom Sucesso paramos na terceira Tasquinha. Certamente imaginam o porquê das paragens, não vos direi qual o tipo de bebida que foi ingerida deixando à vossa imaginação quantas e quais as ditas que foram aniquiladas.
Mais uma Tasquinha se seguiria desta vez no Sobralinho onde foi tirada uma segunda foto de Grupo, a primeira tinha sido no ponto de partida, em Alverca.
O regresso a Alverca seria primeiro pela estrada Nacional e depois pelo trilho da Quinta do Cochão. E finalmente a chegada à quinta e última Tasquinha onde nos esperava uma surpresa, pão com chouriço, tapas e entremeada, mais as ditas cujas.
Foi uma bela manhã de convívio e bem diferente dos nossos dominicais.
Ao Grupo de BTT da APOGMA o nosso muito obrigado desejando-lhes desde já um
Bom e Feliz Natal
Abraikes

As Fotos

O Filme



Jantar de Natal MontiBiker

           Foi na passada sexta-feira dia 12 o nosso MontiJantar de Natal. Este ano o restaurante contemplado com a nossa presença foi o 9Nove Ilhas na Quinta da Piedade.
           Fomos muito bem recebidos e agraciados com um belo menu, variado e de boa qualidade sendo a degustação do liquido neste um belo branco à pressão estando ao nível do menu.
           Infelizmente não foi possível a três elementos do grupo marcarem presença, esperemos que para a próxima tenhamos 100% de MontiBikers ao redor da mesa.
           Muito e bom convívio durante quase quatro horas onde revivemos alguns bons momentos que marcaram este ano de 2014 e também tivemos oportunidade de lançarmos algumas ideias para passeios em 2015.
          Para a posteridade aqui ficam algumas fotos do nosso MontiJantar de Natal 2014.

          Para todos os MontiBikers e Amigos seguidores deste nosso Blog

Um Bom e Feliz Natal


domingo, 7 de dezembro de 2014

Um passeio suave até aos pastelinhos na Azambuja



As Fotos

Hoje foi um dominical bem suave, com muito rolanço e uns pastelinhos para aconchegar.
Três MontiBikers sairam do ponto de encontro pelas 8:35h e percorreram 60km pelo percurso dos caminhos de Fátima, até Azambuja.
Os pedalantes de hoje foi um trio com duas presenças à uns tempos afastados dos dominicais, os Montis Victor e Félix mais o vosso crónista, MontiCadilha.
A manhã estava excelente, um pouco de frio matinal mas o sol prometia um aumento de temperatura, o que viria a verificar-se.
Foi um pedalanço calmo sem subidas e com muita cavaqueira, sempre a pensar nos pastelinhos.
Chegada á Azambuja e directos que nem foguetes para a pastelaria Favorita, o café e os ditos cujos estavam à nossa espera. Não nos esquecemos da família e trouxemos alguns para casa.
O regresso foi pela estrada até ao Carregado e junto à Central termoeléctrica voltamos ao trilho.
Chegamos ao ponto de encontro em Alverca eram 12:30h com os 60km percorridos e prontos para a sessão de alongamentos. O sol estava radiante e os Montis bem felizes por mais um dominical de bom pedalanço e confraternização.
Para todos um Bom Feriado

      Abraikes
O Filme

domingo, 30 de novembro de 2014

MontiTiago subiu ao topo do Cabeço de Montachique

O Track

Os MontiBikers este domingo dividiram-se em dois grupos, dois Montis foram fazer uma rota até ao Cabo da Roca e três Montis ao Cabeço de Montachique.
Das aventuras de MontiNuno e MontiRui ficamos a aguardar desenvolvimentos, quanto aos Montis que subiram ao Cabeço, MontiLuis, MontiTiago e MontiCadilha aqui fica a crónica.
Saída do ponto de encontro às 8:40h tendo como primeiro objectivo o Forte do Arpim, depois logo se decidiria. Um começo sempre difícil quando a opção é a subida do Casal das Areias. Subida vencida só restava a subida em alcatrão até ao Cabeço da Rosa e de seguida o Forte do Arpim.
Não demorou muito tempo a decisão quanto ao trajecto a seguir, MontiTiago nunca esteve no topo do Cabeço de Montachique e a decisão estava tomada, VAMOS LÁ!
Subimos até à estrada do Mato da Cruz e depois foi descer até alcançarmos o trilho para a Quinta do Boição. Bela descida até à Quinta um espectáculo. E quando chegamos à cascata ainda foi melhor. A água corria com a máxima força e o sol a bater na água oferecia-nos imagens fantásticas.
Depois de umas fotos foi seguir o pedalanço até Bucelas, Freixial e a grande subida até ao Parque do Cabeço de Montachique. O sol era o nosso grande companheiro.
Só faltava mesmo alcançarmos o topo do miradouro do Cabeço de  Montachique, mais umas fortes pedaladas para vencermos a inclinação da “subidita” e ... chegamos. Estavamos nos 409 metros de altitude devidamente assinalados no marco geodésico do Cabeço.
Mais umas fotos para a posteridade e descida para o regresso. Uma passagem pelo Forte do Cabeço de Montachique e depois foi descer até ao Tojal.
O regresso foi pelo vale passando por trilhos já nossos conhecidos com passagens pela Granja, Alpriate e Vialonga.
Na rotunda do Aki seriam as despedidas, Luis e Tiago foram pela estrada Nacional rumo ao Sobralinho e Alhandra e eu para a garagem do nº4 para os meus respectivos alongamentos.
Para a semana temos previsto, se o tempo assim o permitir, uma volta para os lados da Malveira com orientação de GPS.
MontiNuno será o nosso orientador/guia.
Até lá uma boa semana e
Abraikes  
As Fotos

O Filme



terça-feira, 18 de novembro de 2014

Pela primeira vez os MontiBikers no Forte da Alqueidão

O Track


Neste Dominical tivemos companhia imprevista, um grupo de amigos de Loures.
Saímos do ponto de encontro à hora habitual, 8:35h, eram quatro Montis prontos a enfrentarem as subidas até ao Forte de Alqueidão.
MontiNando mesmo com uma ausência prolongada não se fez rogado e aderiu sem hesitação ao desafio da escalada.
Ao ataque meus heróis, Quinta do Cochão dava os indícios das primeiras lamas. Ordem para avançar com o nosso guia nomeado, MontiLuís, marcando o ritmo rumo ao alto da pedreira da Cimpor.
Passamos pelo Trancoso onde fomos amávelmente farejados e bem farejados, por dois caninos de focinho achatado, sim aqueles que parecem que levaram com um tacho no focinho, e supervicionados por um doberman, esse não se aproximou. Sorte a nossa.
Chegados ao alto da pedreira e com o Forte do Cego à nossa direita, tomamos a esquerda no sentido do Forte da Carvalha pela estrada de alcatrão.
Forte à vista e novamente à esquerda agora em direcção ao Forte de Alqueidão. Mais uns metros à frente entramos no trilho.
Seria neste trilho que nos cruzariamos com um grupo de amigos do pedal da zona de Loures. Juntos iríamos ao Alqueidão, mas primeiro teriamos de atravessar alguns “rios”. Este trilho tinha sido invadido pelas águas das chuvas dos últimos dias e aqui ficou, para nos lavar as bikes e as meias.
Mas chegamos ao Forte. Depois de uma subida em estradão de gravilha, não foi fácil. Lá no alto o espaço do Forte está bonito e a vista é espectacular.
Depois do descanso, do abastecimento e das fotos de grupo foi o regressar. Todo o regresso foi por estrada atendendo à hora já avançada e especialmente ao cansaço de algumas pernas.
Descida em grande ritmo até Bucelas onde nos despedimos dos amigos de Loures.
Ainda tinhamos a subida do Cabeço da Rosa, feita ao ritmo do MontiNando, a falta de treinos é notória, mas mais uns dominicais e estará no seu melhor.
Vamos lá ao filme, desta vez inclui algumas imagens da câmara do MontiNando.
Ah já me estava a passar, tivemos um tralho mas mais uma vez o  câmara man chegou atrasado, MontiLuís já estava deitado  a beijar a flôr.
MontiBikers e amigos

Abraikes e uma boa semana 
Fotos

O Filme



domingo, 9 de novembro de 2014

Montis no Cabeço de Montachique

O Track

Um quarteto de Montis compareceram no ponto de encontro, Rui, Luís, Nuno e Cadilha, os outros ficaram no Vale dos Cobertores.
A saída, após a tolerância institucionalizada de 5min, foi às 8:35h sendo o destino votado Cabeço de Montachique. Com as chuvadas do dia e da noite anteriores não era de todo aconselhável o pedalanço pelos trilhos.
Desta vez “atacamos” o Cabeço da Rosa pelo lado de Arcena. Uma “subidita” que seria um belo aquecimento. Passagem por Bucelas e subida ao Freixial.
A subida para o Parque de Montachique foi feita com uma certa suavidade, MontiRui estava a ser fortemente atacado pela “dor de burro”.
Após uma breve paragem à entrada do parque a “dita cuja” decidiu ir-se embora e os MontiBikers poderam continuar o seu pedalanço.
MontiLuís entrou pelo trilho da mata. A estrada foi abandonada e os restantes Montis foram no encalce do nosso trepador-mor. Claro que não o conseguimos apanhar ainda dentro da mata. Ele quando decide trepar, trepa mesmo.
Chegamos à estrada e lá estava ele recuperando as forças.
Continuamos a nossa aventura passando pelas ruínas do sanatório e avistamos a subida que nos levaria até ao marco do Cabeço de Montachique, nos 409 metros de altitude.

Bela vista desfrutada pelos Montis. Uma foto de grupo

 e abastecimento para enfrentarmos o regresso. Depois da descida do Cabeço entramos no trilho até ao Forte de Montachique, mais uma das fortificações das Linhas de Torres.
MontiRui deu um tralho, não foi bem um Beija-Flôr foi mais um desiquilibrio, e nem foi registado pela GoPro. Ainda tentamos que ele repetisse o tralho para o registarmos mas não tivemos sucesso.
Logo de seguida começou a chover, para não mais parar até Vialonga. Grande molha!!!
O trilho como seria de esperar apresentava muita água e alguma lama mas felizmente bem ciclável. Descemos até Frielas e prosseguimos para o Tojal. Foi uma descida em bom ritmo mas a chuva deu-nos com força.
Finalmente em Vialonga parou dando lugar a um Sol bem Primaveril.
Na rotunda do Intermarché separamo-nos dos Montis Nuno e Rui, iriam para o Forte da Casa e nós continuamos para Alverca pela estrada da central de cervejas.
Na rotunda do Alambique MontiLuís seguiu para o Sobralinho e eu rumei pela estrada da Verdelha para mais uma sessão de alongamentos na garagem do nº4 onde cheguei às 11:20h depois de 39km, bem molhadinhos mas Muito Feliz.
MontiBikers e amigos
Abraikes e uma boa semana 
O Filme




domingo, 2 de novembro de 2014

Fomos às Trouxas à Malveira

O Track



Caros MontiBikers e amigos,
Na ausência de filmagens, não tinha as baterias da GoPro carregadas, a crónica será uma pouco mais longa.
O improvável aconteceu. Fomos comer uma trouxa à Malveira, quem diria!
Quando saímos de Alverca eu e o MontiNuno não tinhamos traçado um trajecto completo para o nosso Dominical. O primeiro objectivo era alcançar a Subestação EDP de Fanhões com passagem pela Mata do Paraíso e o nosso já bem conhecido “Trilho da subida dos Pneus”, depois logo se veria.
Eram 8:35h quando nos lançamos pela estrada Nacional com passagem pela Central de cervejas de Vialonga até à Mata do Paraíso. Passamos no Zambujal, trilho dos Pneus e atingimos a Subestação.
Surgia então a altura de tomarmos uma decisão quanto ao rumo a seguir. A opção foi continuar a subir pelos montes em frente e descermos depois para a estrada de alcatrão que desce para Fanhões. Trilhos estes uma novidade para o MontiNuno. Subidas por estradão e a descida com muita pedra solta tornando-se muito técnica e feita com a precaução necessária, não deixando de ser divertida.
Chegados à estrada resolvemos não descer para Fanhões, subimos mais uns metros, coisa pouca, para fazermos uma nova descida por um trilho. Mais um com muita pedra e agora com a agravante de muitas valas, algumas com profundidade considerável. Este trilho já bem conhecido de alguns MontiBikers vai dar ao Freixial. MontiVictor aqui você deu um tralho monumental com um enrolanço espactacular, lembra-se?
Tivemos que desmontar duas ou três vezes, as chuvadas danificaram muito o trilho.
Chegamos ao Freixial por volta das 10:30h e surgiu novamente a pergunta, e agora?
Mas a dúvida desfez-se rápidamente, MontiNuno propôs ir comer uma trouxa à Malveira e eu aceitei o repto.
Seguimos por um trilho que ele já bem conhecia. Uma novidade para mim e muito agradável. Talvez um pouco mais de 1 quilómetro percorri com umas subiditas e estavamos a rolar na estrada Nacional a caminho da Malveira.
Uma trouxa e um cafézinho para cada um numa simpática esplanada para um merecido repouso.
O regresso delineado foi por alcatrão até Bucelas e aí logo decidiriamos se Cabeço da Rosa ou Tojal.
No Freixial abandonámos a estrada Nacional e seguimos pelo trilho do Parque Aventura até à Bemposta seguindo depois para Bucelas.
Ainda não tinhamos chegado a Bucelas e já a decisão estavatomada, vamos pelo Tojal.
No Tojal novamente os trilhos foram a opção, agora na companhia de um grupo que entretanto alcançamos, seguimos juntos até à Granja.
Alpriate e quintas de Vialonga foram de seguida. Quando pensava que seria a primeira vez que iria levar o MontiNuno ao Forte da Casa ele sugere irmos pelo Parque Linear. Nem é tarde nem é cedo, bora lá!
Chegamos a Alverca, rotunda do Jumbo, eram 13:05h e 71km percorridos, que grande jornada.
MontiBikers, numa próxima oportunidade faremos esta volta com um grupo maior, está prometido.
Tenham uma boa semana

Abraikes
Fotos de MontiNuno



domingo, 26 de outubro de 2014

Sabadal de 25 de Outubro ida à Serra de Montejunto por estrada

 O Track

Um sabadal completamente diferente e porquê? Porque foi todo ele percorrido em alcatrão.
Foram 97km pedalados com 1250 metros de subida acumulada. Saímos de Alverca às 8:08 e chegamos às 13:20. Os primeiros 33km foram feitos sem nenhuma paragem, a qual viria a acontecer em Abrigada para o café e um pastelinho de nata, e que saboroso ele estava.
Lançamo-nos então para a subida do Montejunto, são alguns quilómetros com uma certa dificuldade em que por vezes a inclinação é considerável.
Mas chegamos ao topo e o espectáculo de vista pede momentos de reflexão, descanso e admiração das coisas bonitas que temos neste nosso “cantinho”.
Estava na hora de regressar,  a descida seria um grande momento porque para além do esforço ser muito menor teriamos oportunidade de ver a paissagem de um ângulo mais espectacular.
O GPS dava-nos como trajecto de regresso um outro sentido, ou seja contornariamos a serra pelo lado oposto. Continuamos a descer e com este ritmo rápidamente chegariamos a Alverca. Pois, se fosse sempre a descer sem dúvida que chegaríamos mas não era e o cansaço foi-se acumulando nas pernas.
No relógio da torre da igreja do Carregado marcava 12:30h, Alverca era já ali ao virar da esquina; não era não!
O ritmo tinha baixado, as forças nas pernas estavam a fugir sei lá para onde. Mas chegamos, felizmente bem e com a mesma disposição com que tinhamos saído.
MontiLuís foi um guia perfeito, um bom companheiro e um atleta 5 estrelas com a sua CanyonBike. Obrigado Luís pela excelente companhia.
MontiBikers esperemos que para o próximo Sabadal haja mais disponibilidade da vossa parte. Para a próxima iremos “atacar” os montes caso o tempo assim o permita.
Abraikes e aqui fica o registo da GoPro.
O Filme




pequeno Filme do MontiLuis







segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Dominical de 19 Outubro - um pastelinho no Parque das Nações

O Track


Um dominical com uma grande e agradável surpresa, MontiFélix finalmente apareceu para uma pedalada MontiBiker.

           O tempo, depois de uma semana chuvosa, e de uma manhã de sábado igualmente de chuva, que nos fez adiar o pedalanço, apresentava-se espectacular.

           Sem destino planeado seguimos para o Parque Linear, impunha-se um breve aquecimento. Com algumas paragens para recuperação, a ausência de pedalanço era notória no nosso companheiro MontiFélix, passamos por Vialonga, Mata do Paraíso, Zambujal, Frielas, Unhos , Sacavém e acabámos numa esplanada em frente ao Tejo no Parque das Nações.
            Um merecido pastel de nata acompanhado de um café com o Tejo aos nossos pés teve lugar uma animada cavaqueira.
            O regresso feito em ritmo de passeio foi pela estrada Nacional. Deixamos o MontiFélix na Póvoa e prosseguimos para Alverca.
            Chegamos à garegem do nº4 pelas 12:20h com 52 km percorridos, MontiLuís seguiu para o Sobralinho e eu com o nosso sénior MontiVictor fomos para os habituais alongamentos.
            Sempre na esperança de que para a próxima é que batemos o recorde de presenças em sabadal, aqui vai um
       ABRAIKE 


O Filme


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Os MontiBikers estiveram na - A Subida da Calçada da Glória - Lisboa

           Os MontiBikers estiveram a ver e a apoiar os grandes atletas a subirem a Calçada da Glória.
           Foi um quarteto, Rui, Nuno, Luís e Cadilha estiveram a 25 metros da meta a apoiarem fortemente os bravos que mesmo a chover, enfrentando por isso um piso escorregadio, subiram esta rampa com 265 metros de extensão e com uma inclinação média de 17%.
           Nós também não arredamos pé, chegamos por volta das 18:30 e só abandonamos o local depois de terminada a prova. Bom, fizemos uma pequena escapadela para uma bela bifana.
           A chuva não afastou o público que compareceu em bom número e muito turista também a apoiar os atletas, verdadeiros guerreiros.
           As velocidades imprimidas eram muito variadas mas os dois primeiros, mãezinha, pareciam que tinham motor na bike. O vencedor, o mesmo do ano passado Ricardo Marinheiro com bike de BTT acabou por bater o recorde do ano 2013 que era de 39,777s, fazendo uns incríveis 36,686s.
          As senhoras também marcaram presença e em bom número, saindo vencedora a Vanessa Fernandes.
          Alguns profissionais também marcaram presença,  entre eles o Tiago Machado.
          As bicicletas presentes eram das mais diversas desde a bicicleta de estrada até à trial.
         De realçar a presença de atletas com deficiencia fisica que também fizeram esta subida um deles só com um braço e outro só com uma perna, impressionante.

Aqui ficam algumas fotos do evento
~

MontiCadilha

sábado, 4 de outubro de 2014

Sabadal de 04 Outubro 2014

O Track


             Caros MontiBikers e Amigos,

             Não à muito que narrar nesta crónica sobre este Sabadal. Infelizmente eu e a minha ScottBike não tivemos companhia neste dia bonito de Sol.
            Após 15 minutos de espera no ponto de encontro decidi iniciar o meu "calvário" solitário até à Azambuja, eram 8:45. Como sabem não me faço aos trilhos da montanha sózinho e assim fui comer um pastelinho à Azambuja percorrendo os Caminhos de Fátima.
            Pelas 11:20 estava a chegar à garagem do nº4 com 59 km percorridos.
            A todos desejo-vos um Bom Fim de Semana e aos que forem pedalar amanhã um Bom Passeio e que o Sol vos acompanhe.

            Abraikes

domingo, 28 de setembro de 2014

7º Passeio BTT de Lourel

O Track

O Filme


Caros Amigos,
Mais uma participação MontiBiker, desta vez no 7º Passeio BTT de Lourel, foi um quinteto de alta qualidade.
O tempo esteve magnífico para a prática da nossa bem amada modalidade. Os trilhos estavam excelentes atendendo à chuvada do dia anterior. A sinalética nalguns pontos estava um pouco deficitária já o mesmo não diremos dos cruzamentos com o alcatrão, 5 estrelas, sempre homens da GNR a controlarem os acontecimentos, FANTÁSTICO.
Os abastecimentos q.b. e o almoço estava excelente, prova disso as repetições de grelhada que os Montis efectuaram, oh yeah!
MontiLuís e MontiTiago lançaram-se aos trilhos que nem gazelas assim que a partida foi dada, ou não fossem eles os nossos MontiJovens com muito “sangue na guelra”.
Já MontiEmídio por causa do joelhinho maroto, MontiNando devido à sua barriguinha milagrossa e eu para lhes dar ânimo, partimos na cauda do pelotão marcando o chamado andamento “ de trás para a frente”.
Fomos galgando pedrinhas e pedregulhos, poças e pocinhas e ultrapassando alguns desesperados companheiros que, não tendo esfregado as pernocas com as cascas das bananas íam tendo cãimbras com a falta de potássio.
Assim foi mais um passeio onde não nos deixaram ser os últimos, 32 bons rapazes resolveram chegar depois de nós.
Muitos parabéns aos nossos Amigos do Lourel por nos terem proporcionado este belo dia de BTT, assim como aos Amigos BTTretas e BikeSintra, um Grande Bem Hajam-
Até à próxima, penso que será na Rota da Água pé do AlvercaBIKE-

MontiCadilha

Finalmente as fotos de MontiEmidio

domingo, 14 de setembro de 2014

Um passeio em Lisboa 14-09-2014


Um Passeio em Lisboa

Olá Montis,
Hoje levantei-me cedo e fui dar uma volta por Lisboa, o tempo estava espectacular para uma volta sem calor e sem stress.
Peguei na bicicleta, pus em cima do carro e lá fui eu até à Expo. Estacionei o carro num bom lugar, pois cheguei por volta das 8h00 e ainda não se via ninguém nas ruas (que maravilha).
Após todo o equipamento pronto, rumei até ao princípio da ciclovia, que não é propriamente na Expo mas sim nos Olivais, passei pelo belo Vale do Silêncio, fui pelo princípio da feira do relógio, chelas e rotunda do relógio, a seguir continuei pela Av. do Brasil até ao Hospital Julio de Matos, aí há uma via para ir para a Alta de Lisboa, conturnando o muro do Hospital, que tem uns graffitis muito bonitos para serem contemplados.
Quando cheguei ao inicio da subida para a Alta de Lisboa a ciclovia acabava ali, e tinha um sinal de proibição para a circulação de bicicletas, vai daí voltei novamente para a Av. do Brasil e rumar ao Campo grande. De seguida passei pelas traseiras da Torre do Tombo, por dentro do campo da Universidade até ao viaduto que faz a passagem para Telheiras. Passei por Carnide e segui por Benfica até à entrada de Monsanto, depois segui paralelo à Radial de Benfica até Sete Rios. Subi um parque que dá ao pé do Estabelecimento Prisional de Lisboa, nesse parque ainda parei no quiosque que se encontrava ali, para um merecido café, continuei até alcançar por fim o cimo do Parque Eduardo VII. Tem uma vista para a cidade e o rio deslumbrante, hoje a bandeira Portuguesa não estava hasteada (como já tinhamos uma vez tirado uma foto com um Nautibiker).
Desci até à Av. da Liberdade, onde encontrei uma feirinha de vários produtos que eu já conheço e ainda deu para ficar com o contacto de um vendedor que tinha uns discos que eu ando à procura. Continuei a descer pela a Avenida até aos Restauradores, onde virei para as Porta de Santo Antão e ir beber uma merecida Ginjinha, segui pelo Rossio até à Rua Augusta, onde deparei no final dela com uma criação artistica na fachada do Museu do Designe e da Moda, eram simplesmente pranchas de Surf penduradas. Queria ter filmado mas a câmara mais uma vez ficou sem bateria.
Dei uma volta pelas arcadas da Praça do Comércio e depois comecei o regresso até à Expo pela zona ribeirinha, nisto cheguei ao carro por volta das 11h30. Foi um passeio agradável e de repetir de certeza novamente mas com outros contornos (nocturno).
Espero que tenham gostado deste relato, até ao próximo passeio
Abraikes a todos

Aqui fica o vídeo

https://www.youtube.com/watch?v=3G0tlcTcDNg&feature=youtu.be

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Dominical de 31 Agosto de 2014


O Track

Após as férias, os Montis regressaram em grande aos sabadais, bom neste caso foi um dominical.
Saída pelas 8:15 e depois de um final atribulado chegada a Alverca às 12:30h.
Quatro MontiBikers marcaram presença neste regresso ao pedalanço, Nando, Luís, Nuno e Cadilha. Foram 44km com muitas subidas e algumas que subidas!!!
Para um aquecimento nada melhor que os caminhos pelo Parque Linear, eem andamento de “cavaqueira”. Depois de feita a rotunda dos caniços passamos por cima do “viaduto fantasma” e lançamo-nos na subida pelo trilho até à Quinta da Piedade. Subida pela estrada das Bragadas para o trilho que nos levaria à grande descida de Alpriate.
Nesta descida que se faz por entre um pinhal tivemos um pequeno tralho, melhor dizendo um doce Beija-Flôr.
MontiNando calculando mal a travessia de uma vala, tarúz,... malhou. Felizmente foi mesmo só malhanço, com uma pequena esfoladela no braço.
Seguimos pelo Quintanilho até à Mata do Paraíso e depois descemos ao Zambujal para nos “atirarmos” com grande animação à Quinta do Boição.
Depois de subirmos a A do Mourão as bikes rolaram pelo “alcatroni” até ao Cabeço da Rosa.
Tinhamos decidido descer pelo singletrack do downhill, MontiNando não nos acompanharia por compromissos já assumidos e o horário estava mesmo a apertar.
Este trilho está bastante perigoso, com muita pedra e valas em pontos manhosos, para além de o mato ter invadido o “single” com silvas e cardos. Chegados à pedreira tomamos a segunda parte da descida mas estava intransitável, voltamos para trás e optamos por descer pela pedreira.
Descemos mas não havia saída. Subir, fora de questão. Reunião de emergência para encontrar alternativas. Não havia muitas, era seguir em frente desbravando mato mas a pé. E lá fomos que nem Vascos da Gama por aquele mato fora. Silvas, cardos, pedras e mais silvas e mais cardos e mais pedras. Descer e subir, quantas vezes o fizemos não interessa.
Mas chegamos a bom porto depois de uma grande subida com a bike às costas.
No cimo estavamos com a central de cervejas à vista, era só descer e Alverca mesmo à mão de semear.
MontiNando livráste-te de boa, mas perdeste uma aventura do caraças.
Para a semana três Montis vão ao passeio de Óbidos, Luís, Nuno e Rui, façam uma Boa Viagem e tenham um Dia Em Cheio. Quanto aos que ficam vamos apontar para um Sabadal de preparação para a nossa participação no passeio dos nossos amigos de Lourel.


Abraikes 
Foto de grupo

O Filme 


domingo, 27 de julho de 2014

Dominical de 27 Julho 2014

O Track



Última oportunidade para pedalar antes do meu período de férias. Fomos três os Montis a responder à chamada.
Eram 8:40h quando nos lançamos pelos trilhos dos caminhos de Fátima até à Azambuja para um breve pequeno almoço na pastelaria Diamante.
Os MontiBikers já percorreram por várias vezes este trajecto mas os Montis Nuno e Rui só o conheciam até ao Carregado.
O céu estava nublado e por vezes tinhamos a sensação de estarmos a levar com chuviscos.
Chegados à Azambuja dirigimo-nos à Diamante mas batemos com as Bikes na porta, encerrado. Tivemos que ir à procura de alternativa e não foi necessário percorrer muita distância. Uns metros mais à frente demos com uma pastelaria a Favorita cuja especialidade são as queijadas de amêndoa. Belo doce na companhia de um cafézinho. Para as próxima levarei a bolsa do guiador para trazer  meia dúzia para a família.
O regresso foi em bom ritmo pelo alcatroni via estrada Nacional, com uma média extraordinária. Foram 30km em aproximadamente 45 minutos, com alternancias na frente ora agora puxo eu ora agora puxas tu.
Chegamos a Alverca eram 11:30h agora na companhia do Sol.
E para a semana são as minhas “vacances” pelo que aos que ficam desejo bom trabalho e Boas Pedaladas.

Abraikes





quarta-feira, 23 de julho de 2014

Dominical de 20 de Julho - Fomos ao Parque das Nações

O Track



Após uma longa ausência, uns por motivos profissionais outros pelas abençoadas férias e os outros eles lá sabem, quatro Montis reuniram-se no dia 20 para um  Dominical rolante com um cheirinho de subidas.
Os Montis Emídio, Luís, Nando e Cadilha foram ao Parque das Nações.
Passeio sereno com grandes conversetas, havia muita escrita a pôr em dia, com uma pequena visita à Mata do Paraíso para testar um pouco as pernas.
O ponto alto do passeio foi sem dúvida o pequeno almoço, café e pastelinho de nata, na “mamalhuda” ponto estratégico dos nossos amigos NautiBikers.
Saída de Alverca por volta das 8:40 percorremos o Parque Linear até à Póvoa, seguimos para Vialonga pelos trilhos até à Mata do Paraíso. A subida para os que já não pedalavam à algum tempo não foi assim tão difícil. Descemos ao Zambujal e tomamos os trilhos até Unhos e Sacavém. Finalmente o Parque das Nações para o merecido pastelinho.
O regresso foi pela estrada Nacional sempre a rolar no alcatroni.
Chegada a Alverca por volta do meio dia depois de deixarmos MontiNando na Póvoa.
Veremos se para o próximo fim de semana teremos pedalanço.
Até lá bom trabalho ou Boas Férias

Abraikes

Fotos



O Filme