Número total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Dominical de 28 Dezembro 2014, o outro, o do Parque das Nações

Crónica de MontiNando

Último passeio de 2014
Versão 2 (Soft)
28-12-2014

Hoje foi dia de bom Quórum no seio dos Montibikers, pois foi possível haver dois grupos para diferentes passeios.
Os presentes estavam todos à hora marcada, houve propostas de trilhos, ficando escolhido o do MontiCadilha e iniciando o passeio passados 10 minutos.
Um dos intervenientes (MontiEmídio), não estando nas melhores condições ainda para altos montes, avisou que iria fazer um passeio mais soft. Eu (MontiNando), ponderando seriamente sobre a minha condição física, não estar nas melhores condições para o andamento dos novos Benjamins, sugeri juntar-me ao MontiEmídio e fazer-lhe companhia no passeio.
Todos concordaram e lá se dividiu o grupo em dois, uns foram para os Montes e os outros para o Asfalto. Os que foram para os Montes terão a sua crónica feita por o MontiCadilha, os que foram para o Asfalto, eu próprio (MontiNando) vou aqui relatar.
Após a divisam do grupo na rotunda grande da Póvoa, seguimos via estrada Nacional 10, fazendo o desvio no cruzamento de Santa Íria, para a IC2. Claro que não fomos pela IC2, mas sim na estrada paralela a ela. Sempre com boa disposição, demonstrada no filme, chegámos ao local perto do Rio Trancão (por baixo dos Viadutos), onde fomos espreitar o mais perto possível da berma do Rio. Essa tarefa não foi conseguida devido ao terreno não estar nas melhores condições para isso.
Partimos novamente, passando por cima da linha férrea, através da sua ponte pedonal, rumo à Expo. Já estava planeado o sítio onde íamos tomar um belo pequeno-almoço, seria no café apelidado pelos nossos amigos Nautibikers de “MAMALHUDA”, seria também o ponto de retorno do nosso passeio. Entretanto pelo caminho, falámos sobre alguma saudade de ter nos nossos passeios, o nosso amigo Centeno dos Nautibikers.
Passámos no passadiço junto ao rio Tejo, na Expo e parando para umas fotos num dos pontões, aí havia da minha parte a preocupação de substituir as pilhas do GPS, as quais deparei depois de ligar o aparelho, que estavam sem carga (nunca mais aprendo), também foi aí que ao tirar uma foto ao MontiEmídio, tive de tirar uma das luvas (pois o ecrã do telemóvel dele não reage sem ser com pele humana) e sem querer caiu ao rio, ficando eu a ver ela a boiar e a ser levada pela corrente.
Voltámos novamente ao caminho, atravessando a Expo e chegando à Marina, vimos que tínhamos de contornar os prédios para chegar ao café. Antes dele ainda fizemos uma incursão à torre demonstrativa de que tinha existido ali nesse espaço a fábrica de gás de Lisboa (espero não estar a enganar ninguém com esta informação, se estiver peço que seja emendada), tirámos mais umas fotos e logo a seguir chegámos ao café da “MAMALHUDA”. Ainda bem que lá fomos, por dois motivos: 1º pelo facto de não podermos ir lá no 1º dia do ano e 2º pela surpresa que iriamos ter depois de lá estar.
Pedimos então cada um, o belo do galão mais um bolinho, para termos força no regresso. Depois de termos degustado o belo pequeno-almoço e eu ter-me afastado para ir ao sanitário, eis que surge ao pé do MontiEmídio a nossa surpresa, nada mais, nada menos, que o nosso amigo Centeno dos Nautibikers, de que nós já tínhamos falado durante o passeio.
Estivemos ainda algum tempo a conversar, a tirar fotos e a degustar um bom café, surgiu na conversa uma ideia de fazermos dois passeios com a companhia dos Nautibikers, um até Santarém e volta, com um belo almoço pelo meio e outro por terras de Chaves junto á fronteira.
Penso que podíamos ponderar sobre este assunto, a partir já do próximo ano.
Foi com alguma pena que tivemos que nos despedir, pois tanto ele, como nós, ainda tínhamos de fazer o regresso. Entretanto pelo caminho foi aparecendo aquela chuva miudinha e quando estávamos junto da fábrica do Açúcar, o MontiEmídio lembrou-se de telefonar ao MontiFélix, para ver se ele estava disponível para bebermos alguma coisa no café, perto da casa dele. Respondeu que estava nesse preciso momento a chegar a casa, e perguntou onde nos encontrávamos. Respondemos que estaríamos ao pé dele, dentro de 10 minutos, e assim foi, quando chegámos encostámos logo ao balcão para beber um digestivo, e brindarmos à nossa saúde e a uma boa passagem de ano.
Após um pouco convívio, tivemos de nos despedir, pois já estava na hora de almoçar.
Assim foi mais um passeio efectuado por nós, sempre com alegria e boa disposição, sendo isto sempre um dos lemas do nosso grupo.
Abraikes e até ao próximo passeio.                                                                                                      


 O Filme de MontiNando

as Fotos




3 comentários:

  1. Pois assim não arranjam preparação para os montes, bolinhos, leitinho e depois vinhaça ohohohoh!!! venha a barriguinha:):):)
    Boas surpresas, um Nauti no café e um Monti na vinhaça, kms percorridos foram bons e com alegria que é o principal
    Abraikes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é vinhaça !! É "groselha" com gasosa....e teve de ser porque já estava cheio de frio á espera dos marotos. Chuva no lombo é o que dá ! Mas o treino de estrada rendeu eheh Hoje estou constipado.
      Mas valeu a pena pela surpresa e companhia que me fizeram
      AF

      Eliminar
  2. depois de ver o filme confirma-se que seja na estrada ou nos montes a alegria MontiBiker está sempre presente.

    ResponderEliminar