Número total de visualizações de página

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Mensagem de Ano Novo

A Todos os Amigos Visitantes deste Vosso Blog


FotoMagazine 2013

FilmoMagazine 2013



domingo, 29 de dezembro de 2013

Sabadal de 28 Dezembro 2013

O Track

Caros MontiBikers e Seguidores do Blog,
Hoje não me vou alongar nesta crónica de final de ano, apenas vos direi que foi uma despedida de ano nos montes que tanto pedalamos e celebrada com uma ginginha na casa da nossa querida anfitriã, a D. Laurinda.
Foi também a apresentação da nova coqueluche MontiBiker, a nova GoPro3 do MontiNando.
Quatro Montis, Cadilha, Luís, Nando e Tiago pedalaram os últimos 38km do 2013.
Esperamos por vós em 2014 para mais pedaladas e peripécias MontiBikers.
Beijos e Abraços
Abraikes

MontiCadilha 
Fotos

O Filme

O 1º Filme do MontiNando na sua GoPro3



terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Um Feliz Natal e um Bom Ano Novo


A todos os nossos Amigos do Pedal
 e Visitantes do nosso blog






                          

domingo, 22 de dezembro de 2013

O Track

Provavelmente foi o último Sabadal de 2013 e não quizemos acabar o ano sem uma visita à pastelaria Diamente na Azambuja.
            Quatro Montis responderam à chamada, Victor, Emídio, Luís e Cadilha. Com saída marcada para as 9:00h partiriamos da sede provisória 3 Montis depois da respectiva espera de tolerância. Já na Quinta do Cochão recebi uma chamada do MontiLuís sabendo da nossa localização. Atrasado mas presente. Um compasso de espera na estrada nacional e depois a colagem. Os montis Victor e Emídio já íam um pouco à frente pois estava frio para paragens, mas o reagrupamento seria feito em plena ciclovia já perto de Vila Franca.
            O sol estava presente mas o frio também dizia sim, para o nosso benjamim MontiLuís é que não alinhava nesta coisa do frio, jersey de manga curta e calções no corpinho, sim senhor ganda manganão.
            Grande rolanço pelos trilhos como se fossemos a fazer os caminhos de Fátima, sempre com os campos, pantanais e lençóis de água à nossa direita e milhares de aves no horizonte. Algumas eram perfeitamente identificávies, garças, gaivotas cegonhas, flamingos e outras aves de arribação e não só mas que a nossa cultura MontiBiker não conseguia identificar.
            Chegámos à pastelaria Diamante um pouco depois das 10:30h e à nossa espera uma simpática menina que nos serviria um agradável pequeno almoço. Após uma mini sessão de fotos com a preciosa colaboração da menina “Diamante”, assim será pois ficamos sem saber o seu verdadeiro nome, os MontiBikers fizeram-se ao trilho para o regresso.
Regresso esse que fariamos pelo mesmo trajecto com a sempre animada travessia da passagem aérea da estação da CP da Azambuja. Fazer aquele zig-zaguear sem tirar os pés dos pedais é sempre um desafio para os Montis.
Parece que se está a tornar um hábito, um Monti a finalizar o Sabadal com alguma dificuldade provocado pelas câimbras marotas. Desta vez MontiVictor percorreu os últimos kms com alguma dificuldade, a partir de Alhandra as pernas atraiçoaram-no. Acabaria por levar como receituário – caminhadas 3x por semana de preferência depois do pequeno almoço.
MontiLuís ficaria no Sobralinho depois das despedidas, mais à frente os Montis Emídio e Cadilha seguiriam para a lavagem das “meninas” enquanto MontiVictor seguiria para casa.
Para o ano haverá certamente muitos e bons Sabadais esperando que com mais participantes.
Tenham uma Boas e Santas Festas com muuita animação e uma mesa farta.
Abraikes

MontiCadilha


Fotoreportagem de MontiVictor

O Filme




domingo, 15 de dezembro de 2013

Sabadal de 14 Dezembro de 2103 e Jantar de Natal

O Track


Para relembrar este dia 14 de Dezembro de 2013. Foram 7 Magníficos MontiBikers que se juntaram para um Sabadal memorável.
A sugestão do trilho estava lançada pelo MontiArmando, ída ao alto de Montachique, onde também se encontra um dos Fortes das Linhas de Torres, sendo logo nomeado o MontiGuia.
Com um sol brilhante e uma temperatura a condizer, partimos em direcção do Parque Linear. As subidas não tardariam, Mata do Paraíso e muitas outras se seguiriam.
Curioso curioso é no final a conclusão dos GPS`s ser: 800mt de subida acumulada e 800mt de descida acumulada, mas como é possível? Com subidas longas que parecem intermináveis e com descidas tão rápidas!!! Sinceramente acho que os GPS`s andam malucos.
Antes de subirmos para Montachique, MontiEmídio decidiu regressar a Alverca. Os músculos estavam a ameaçar desgraça e tomou uma decisão irredutível. Ainda pensamos que seria coisa à Portas, mas enganámo-nos.
Continuamos fazendo a subida para Montachique, e que subida, umas bikes foram de empurrão e outras às cavalitas. Até deu para o MontiTiago dar um tralho.
Finalmente chegamos ao topo, Forte de Montachique. Mas nem deu para descansar, o MontiGuia começou logo a descida. MontiPaulo já apresentava sinais de cansaço pelo que foi decidido fazer o regresso por alcatroni via Tojal.
Sempre a rolar em grande “vitesse” chegamos à Granja. Para grande surpresa nossa quem estava em grandes apuros com as câimbras não era MontiPaulo mas sim o nosso homem das maratonas pedestres, MontiCarlos.
Fiquei com ele em velocidade de cruzeiro, enquanto os MontiRestantes seguiram para Alverca desparecendo no horizonte.
Foram 45km com 800mt de acumulado de subidas em mais um Sabadal para a história MontiBiker.
Abraikes

MontiCadilha 


O Filme

e agora as fotos do MontiJantar de Natal
tiradas pelo MontiEmídio

o filme do jantar imagens de MontiEmídio

e finalmente as fotos do MontiJantar de Natal
tiradas pelo MontiNando




sábado, 7 de dezembro de 2013

Sabadal de 07 Dezembro de 2013

O Track


São 9:00h, chego à sede mais que provisória, a CubeBike de MontiNando já lá está mas ele népia. Vou tomar o meu café. Uns breves momentos e entra o grande Nando um MontiAusente nos últimos três meses.
Não esperamos muito e chega MontiEmídio com a sua TrekBike renovada. Uma nova roda traseira toda catita. São 9:07 e questionamos, será que o benjamim MontiLuís vem, e qual o trajecto para hoje?
Nem mais, chega o benjamim e repetimos a pergunta, resposta pronta – por onde vocês quiserem.
Bom, como o Nando ainda não conhece o trilho dos Fortes vamos tentar fazê-lo todo seguido agora que o sabemos todo, proponho eu. Montis de acordo e largada para mais um Sabadal MontiBiker.
Eram 9:10 com uma temperatura fria mas um sol que prometia aquecer rápidamente o ambiente.
Mas ainda não foi desta que o trajecto dos Fortes das Linhas de Torres se faria na sua totalidade, só faltam três fortificações, não está fácil.
Mesmo assim percorremos 38km, fazendo uma passagem pela Xtrilhos e chegamos a Alverca por volta das 13:15, foi belíssimo.
MontiNando teve algumas dificuldades devido à sua longa ausência, mas com momentos de descanço e os incentivos de MontiEmídio acabou por tudo ultrapassar.
Foi um passeio onde não se registaram avarias mecânicas, furos e principalmente quedas, o que é sempre de realçar. Houve sim muita animação e a inconfundível boa disposição MontiBiker.
Não terminariamos a nossa volta sem uma visita, não programada, à nossa loja de eleição, Xtrilhos, para mais uma aquisição de material e claro um cumprimento especial ao nosso mecânico favorito Sérgio. Já depois da descida do Forte da Serra do Formoso encontramos o amigo Johnny, de moto-serra nas mãos a servir de guiador para desbravar terreno.
Mais um Sabadal MontiBiker que passou e agora o próximo encontro será à volta de uma mesa com a presença de todos os MontiBikers. Será o nosso já tradicional MontiJantar de Natal onde o espírito MontiBiker é fortemente cimentado.
Até lá cuidem-se bem e
Abraikes

MontiCadilha
Fotos do MontiEmídio

Fotos do MontiNando


 o Filme



segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

MontiArmando na Maratona de Canha

Maratona BTT Canha 2013-12-01

Como sabem fui participar na maratona de canha, pela segunda vez consecutiva. Por volta das 7:00 depois de já meter a bike e o saco para o banho, arranquei para Canha, desta vez sem a presença do MontiPaulo e de nenhum outro MontiBiker.
Foi uma viagem tranquila, por volta das 8:00 já estava a estacionar ao pé do quartel dos B. V. de Canha, estacionado o carro, fui levantar os dorsais para evitar o aglomerado que costuma acontecer nestas provas, este ano com 833 inscritos.
De volta para a carrinha olhei para a mala da ferramenta, que costumo levar sempre nestas provas, onde tenho câmaras de ar e outros acessórios, como vocês sabem não sou adepto de levar nada a não ser os bidons! Mas na véspera, no sabadal que MontiCadilha, MontiEmidio e MontiLuis fizeram, ouve um percalço com o MontiEmidio e não sei porquê deu-me para levar tudo hoje! É maluco!
Colocado o dorsal na bike fui então dar uma voltinha para aquecer e passar o tempo, ao passar perto da meta reparei que já havia dezenas de bikes no local da partida, antes que ficasse para o fim fui logo meter a minha tambem, fiquei umas cinco a seis filas atrás dos primeiros. Há hora prevista e depois da palestra habitual, foi dada a partida, os primeiros kms foram em alcatrão como habitual para o pelotão de 833 participantes se alongar para evitar os engarrafamentos quando se chega aos trilhos. Mas muita gente deu tudo por tudo para chegar á frente nos kms iniciais, desde encontrões a razias, seria para chegar no top ten ao km 10?! Ou para chegar primeiro ao abastecimento?! Bem, após a confusão do inicio da partida e as ultrapassagens dos “cromos”, chegado aos trilhos lá comecei a passar por muitos deles, pois a força inicial tinha ido á vida, o pessoal esquece-se que ainda tem que fazer o resto do percurso e não controla o ritmo e o esforço, mas cada um sabe de si, o percurso tinha muitas zonas com bastante areia onde o pessoal fazia slides e onde obrigava a uma pedalada exigente para não perder o equilíbrio, havia tambem umas quantas subidas de alguma dureza devido ao piso, ouve tambem muito estradão, o que não deixa descansar pois obriga a rolar a um ritmo constante, e assim sendo passado 65 km lá cheguei á meta com o tempo não oficial de 2h54 com uma media de 22.3 km/h, podia ter feito melhor, mas nas ultimas duas semanas não treinei por isso não podia pedir mais das pernas.
Após a chegada á meta, foi altura de pedalar com mais calma e descomprimir um pouco á volta do quartel até á carrinha, bike guardada e saco ás costa para ir tomar banho quando passam três colegas todos irados porque não havia água quente! Já estava á espera disso, quando os balneários são com cilindros é o que acontece, quem chega depois dos primeiros leva com água fria. Sendo assim foi directo ao almoço, fui bem servido mas tive que ir repetir, a chicha estava mesmo boa! Comida a sobremesa hora de voltar para casa para tomar um belo dum banho quente! E assim foi o dominical deste MontiBiker, abraikes e uma boa semana.

MontiArmando

Link com um filme sobre a maratona



domingo, 1 de dezembro de 2013

Sabadal de 30 de Novembro de 2013

O Track



Este reconhecimento dos Fortes das Linhas de Torres está a superar as expectativas. Trilhos nunca antes pedalados, paisagens do “caraças”e sempre aqueles momentos de humor MontiBiker.
Nem sempre o que estava delineado acontece, ou seja, algumas vezes deparamos com barreiras intransponíveis e outras,  trilhos que deixaram de o ser, desapareceram dando lugar a campos lavrados.
Mas os MontiBikers estão sempre bem, avançam, voltam atrás e mais uma subida. Que sorte a seguir de certeza vem uma descida.
Neste sabadal os três MontiPresentes desbravaram trilhos até mais duas fortificações. Primeiro foi o Forte do Trancoso seguindo-se o Forte 1º da Calhandriz.
O Forte do Trancoso já tinha sido visitado pelos MontiPresentes mas nenhum o tinha relacionado a um forte, isto muito simplesmente porque muralhas nem vê-las nem umas pedrinhas que nos dessem a mínima ideia de uma fortificação. No local apenas um marco geodésico e um outro pequeno marco com as inscrições de F5 Calhandriz.
Quanto às vistas, não vos conto. Uma coisa é certa o tal general Wellington não era parvo nenhum, para além da ideia brilhante da sua táctica, os locais que escolheu para as fortificações tinham umas vistas fantásticas.
Quanto ao Forte 1º da Calhandriz, o segundo a ser visitado, tem muralhas. Muito próximo estão outras duas fortificações, que não visitamos mas que numa próxima oportunidade o faremos.
Mais um local que infelizmente não está identificado como Forte das Linhas de Torres. Mais um ao abandono, sem uma placa a relatar a sua histórica importância.
Como vou já longo neste relato apenas acrescentarei que MontiEmidio teve um pequeno precalço na sua TrekBike. Um pau atravessou-se na roda traseira e como consequência um raio partido, um buraco no aro e o desviador danificado.
Mas qual mecânico inventivo, a solução dos problemas foi rápida e genialmente resolvido graças a uma luva de borracha.
Não acabamos o nosso Sabadal sem uma visita ao nosso atencioso “BikoCirurgião” Sérgio da Xtrilhos para um diagnóstico à TrekBike e a respectiva marcação de reparação.
Foram 32 km de mais um grande pedalanço com cerca de 500 mt de acumulado de subida.
Fiquem bem, tenham uma boa semana e boas pedaladas
Abraikes

MontiCadilha 
As Fotos

O Filme