Número total de visualizações de página

segunda-feira, 11 de junho de 2012

XXVI Passeio Internacional de Cicloturismo Sesimbra – Algarve


Este fim-de-semana, os MontiBikers, juntaram-se aos Dinossauros do Pedal, um grupo de ciclistas de estrada, da Póvoa de Santa Iria e foram pedalar no “XXVI Passeio Internacional de Cicloturismo Sesimbra – Algarve”.
Este evento foi composto por três etapas. Uma que seria pedalada no dia 8 de Junho entre Sesimbra e a Comporta, em que não participamos, devido a ser dia de semana. A segunda etapa, no dia 9 de junho foi pedalada entre Comporta (perto de Troia) e Vila Nova de Milfontes, com cerca de 90 kms. A terceira e derradeira etapa seria pedalada no dia 10 de Junho, entre Vila Nova de Milfontes e Silves, com um percurso de aproximadamente 115 kms.
A equipa após tudo preparado, saiu da Póvoa eram 5:30 da manhã de sábado, sendo que vieram a alverca apanhar o último Monti e depois seguiu rumo á Vasco da Gama, para atravessar o Tejo. Saímos em Setúbal da A2 para nunca mais largarmos as nacionais até á Comporta, onde chegamos faltavam 20 minutos para as 8 horas.
A partida estava prevista para as 8 horas, pelo que tivemos bastante tempo para a preparação de todo o equipamento, assim como de algum aquecimento necessário para pedalar tamanha distância.
Saímos á hora prevista em pequenos grupos, uma vez que num passeio deste género, o pessoal não sai em pelotão. Como para nós era o primeiro dia, então fomos sempre em ritmo lento até ao primeiro e único ponto de abastecimento, localizado na praia de São Torpes, em Sines. A partir deste abastecimento que estava aproximadamente ao km 50, a malta impos um ritmo um pouco mais intenso até ao parque de campismo do Sitava, que distava cerca de 8 kms do final desta etapa. Esperamos pela malta mas atrasada, e a partir dai seguimos com o nosso grupo até ao parque de Campismo Campiférias em Vila Nova de Milfontes, onde nos esperavam dois bugalows para tomarmos um belo e reconfortante duche, fazermos as refeições e pernoitarmos, tendo nós chegado perto do meio-dia e meia.
Fizemos para o almoço, uma belas fêveras e entremeadas, com uma boa salada, tendo cada um escolhido o melhor molho para regar o seu copo (minis, sumos, água ou vinho tinto). Depois do almoço fomos beber o café ao centro de vila, tendo alguns ficado a descansar. Para quem quis, ainda houve tempo para dar uma volta pelas tendas da festa da vila e dar uns mergulhinhos na foz do rio Mira.
A segunda etapa iniciou-se no final da ponte principal da vila, eram 8 horas da manhã. Novamente fomos partindo em pequenos grupos, com a intenção de fazermos os cerca de 115 kms do percurso. Esta terceira etapa era considerada a mais dura, sendo que ainda se tornou mais, uma vez que a organização da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicletas “fpcub”, foi obrigada á última hora a fazer uma alteração do percurso. Porem esta alteração não foi devidamente analisada pela organização, uma vez que tinha muitas e grandes subidas com pendentes a superarem os 20% inclinação, onde quase ninguém as conseguia subir, uma vez que neste passeio internacional participam muitos ciclistas perto e outros a passar a casa dos sessenta anos, alguns até levam bicicletas de btt com os pneus estreitos. Uns iam á boleia dos carros de apoio, sendo que muitos, nesses cerca de 15 kms difíceis entraram nos seus carros de apoio, tendo continuado mais á frente a sua participação no evento, até chegarem ao final do passeio em Silves.
Chegamos a Silves perto da uma e meia da tarde. Cada participante recebeu uma pequena lembrança da fpcub e seguiu o seu destino direito a um restaurante ou a um qualquer parque de merendas onde pudesse almoçar. Seguimos viagem até S. Bartolomeu de Messines, onde encontramos um local próprio de merendas, e ai almoçamos, tendo até confraternizado com uns idosos que apareceram por lá para descansar um pouco.
Chegamos a Alverca perto das 20 horas, sendo que o resto dos Dinossauros ainda seguiu caminho até á Póvoa.
Foi um fim-de-semana bem passado, na companhia de malta animada e com gosto para a brincadeira, assim como para pedalarem até que quase as canetas lhes permitam. Eh eh…





Vídeos


Fotos

2 comentários:

  1. estes Montis estão com uma preparação invejável.
    como se vê nas filmagens vão sempre na fila da frente. Nos repastos pareceu-me ver só saladas, daí o motivo pelo qual nas subidas a 20% tiveram de ir para o carro vassoura, eheeheh

    Abraikes

    ResponderEliminar
  2. Grande passeata ...sempre no pedalanço. Como diz o Montimidio, fartámos de hidratar para vencer tantas dificuldades eheh. As rampas de 20% não assustaram o Montimidio, que pegando na minha bike, mesmo com o selim afinado para mim, desatou a pedalar furiosamente por elas acima em grande forma, mesmo esforçando as suas partes intimas eheh. Mas um Monti nunca se deixa vencer pelas adversidades. Mesmo que elas apareçam aos 80 Km da etapa. E as vistas ??? Magnificas!! ao atravessarmos a serra de Monchique
    não se via casas até onde a vista alcançava. Lindo

    ResponderEliminar