Número total de visualizações de página

sábado, 9 de junho de 2012

Sabadal de 09 de Junho, um dia de descobertas


    Este fim de semana os Montis andam muito dispersos, senão vejamos; MontiFélix e MontiEmidio foram Kalkar alkatrão até Melides sentados em biclas, MontiVictor anda numa recuperação de amigdalite e essa malvada sem coração impede o nosso sénior de se sentar na Ghostbike. MontiNando anda numa azáfama danada à volta do arco e flechas na tentativa de alcançar o ponto mais alto do pódio no Campeonato Nacional, MontiPedro continua a trocar os sabadais pelo trabalho no seu emprego, é assim temos que ser uns p´ros outros. Assim temos que tanto no feriado como este sabadal os únicos que marcaram presença foram MontiLuís e eu MontiCadilha.
    Neste sabadal chegamos quase em simultâneo à sede mas ainda não sede, eram 8:05. Depois de alguns minutos de espera na esperança de mais algum Monti aparecer, decidimos avançar para o trilho, eram 8:10.
Levamos as nossas bikes por trilhos nunca antes pedalados. No total foram 45kms percorridos no tempo de 3 horas e 15 minutos, eram 11:25 quando parei a ScottBike na garagem do nº 4.
    Iniciamos pelo trilho junto ao FC Alverca, atravessamos a linha da CP, trilho da Argiby, percorremos um caminho junto ao Tejo, onde se  viam muitos pescadores desportivos. Voltamos a atravessar a linha férrea, agora para apanharmos a estrada nacional no cruzamento do Sobralinho junto à fábrica da Colgate, antiga Sonadel. Seguimos em direcção ao passeio ribeirinho de Alhandra pedalando junto ao Tejo até ao jardim de Vila Franca de Xira. Agora em alcatrão fomos até à Central Termoeléctrica do Carregado.
    A partir daqui decidimos ir à descoberta de novos trilhos. E a aventura começou com uma subidinha bem longa por um trilho que acabou num arvoredo sem saída. Só tinhamos duas hipóteses voltar para trás ou seguirmos por um campo de cultivo. Decidimo-nos pela segunda.
    Para não danificarmos o campo, seguimos sempre junto a uns arbustos no limite do terreno, era uma boa descida com alguns solavancos é certo mas animadita. Para sairmos do terreno tivemos que ultrapassar uma vedação de arame farpado, sem problema. Depois de alguns metros de alcatrão, voltamos a subir por um trilho que nos levaria a uns depósitos de água da EPAL, junto a um marco geodésico. Esta subida foi bem durinha, piso com muita pedra solta e bem empinadinha. No topo foi o merecido descanso e abastecimento.             Era um autêntico miradouro.
    Agora era chegada a vez de descer. Uma primeira tentativa iria ser abortada, o trilho acabava num silvado. Regressamos ao ponto de partida. A segunda opção iria ser magnífica, descida por um single track espectacular que nos levaria até à Castanheira. Dentro da vila virámos para uma urbanização, Quinta dos Anjos e subimos até a uma grande mata que vai até Vila Franca. Era nossa intenção seguirmos nela até Vila Franca, mas tal não foi possível. Acabamos por entrar numa propriedade privada sem darmos conta, sorte a nossa não havia nenhum cão a guardá-la. A estrada nacional estava à vista e tendo em conta a hora, e a minha necessidade de chegar antes do meio dia a casa, optámos por fazer o caminho de regresso pelo alcatrão. Estavamos muito próximo do centro equestre da Leziria, junto ao novo hospital.
    Regressamos em bom ritmo pela estrada nacional até à praça de toiros, subimos pelo elevador para atravessarmos a linha férrea, circulamos pelo passeio ribeirinho até Alhandra, regressando à nacional até ao Sobralinho, ponto da despedida do MontiLuís.
    Regresso solitário até à garagem do nº4 tendo sido registada a hora de chegada, 11:25 com 45kms percorridos.
     Mais um Sabadal cumprido, este com sabor de novas descobertas.
Até sexta-feira dia 15, para o nosso 1º Nocturno.

    Abraikes
PS. Infelizmente não há registo fotográfico nem de filme, levei a máquina mas a bateria estava em baixo. Azelhice deste vosso companheiro, imperdoável bem sei.

5 comentários:

  1. Foi um belo dia de descobertas! aquela zona parece que ainda tem mais para se explorar, por isso toca de aparecer mais Montis, para la voltarmos em breve.
    A subida até aos depósitos de água da EPAL foi bem durinha foi, mas aquele single track a descer estava muito bom mesmo, mais um a repetir.


    Cumps.

    ResponderEliminar
  2. Olá Montis eu sei que estou bastante ausente, mas é por uma boa causa. A partir do dia 15 de Julho já poderei participar mais activamente com o grupo, visto que terminou a época de campo no tiro. É claro que estarei presente na sexta feira dia 15 para o nosso primeiro nocturno da zona, pois não poderei ir ao dos BTTRETAS dia 7 de Julho por motivo de férias. Já vi que tenho de dar às pernas se quero estar ao vosso nível e ainda por cima a barriguinha já começa a ficar com um certo volume a que eu não estava habituado.
    Abraikes a todos e até Sexta Feira

    ResponderEliminar
  3. Assim é que é Montis.

    Quem está é que passeia... os outros se não estão, é porque tem outros afazeres que não permitem a sua comparência...
    E toca a pedalar, de preferência para cima... pois é o bom que nós temos na nossa região, uma vez que a parte final ou é plana ou sempre a descer...
    Fico satisfeito, uma vez que me apercebo que correu tudo ao vosso gosto (excepto o câmera men que desta vez se descuidou... não entres em stress... da próxima corre pior.. eh eh).
    Eu e o MontiFélix fomos kalkar alkatrão cerca de 200 kms, mas apareceram-nos alguns empenos que mesmo com a menina á mão não era fácil... ups... até vem uns suores só de pensar... eh eh..

    Inté

    ResponderEliminar
  4. Os Montis não param ....ainda por cima há sangue novo a puxar pelos cotas !!!
    Pena não nos conseguirmos reunir todos, mas os que vão dão sempre garantias .
    Pena é não haver as belas fotos tiradas pelo nosso PROmontireporter Cadilha eheh
    A F

    ResponderEliminar
  5. Olá Montis!
    Na hora de dar andamento à crónica do Sabadal de ontem 16JUN vim espreitar a crónica do sabadal anterior. E que bem me senti como seguidor dos MontiBikers! Os gajos não perdem uma! Muito bem MontiCadilha e MontiLuis! Grande proeza! Não só dilataram o território como chegaram cedinho a casa, se calha ainda assistiram ao acordar da família! E quanto às fotografias não me queixo, a crónica mostra-nos tudo: os caminhos, as hesitações, as decisões boas e más, as surpresas, tudo o que é marcante num passeio à descoberta. Bem aventurados Luis e Zé Cadilha, a chama da MontiMística brilhou mais forte com este vosso Sabadal e eu sou candidato a um regresso aos trilhos que vocês exploraram! Parabéns aos dois e abraikes para todos.

    ResponderEliminar