Número total de visualizações de página

quinta-feira, 12 de julho de 2012

2012.07.07 Noturno BTTretas com Sol, Amizade, Bifanas e Coiratos

 Foto 1 - Uma fila bonita num campo inculto à espera dos atrasados.

 Foto 2 - Reagrupamento em cima dum viaduto; já cheira a bifanas!

Foto 3 - Nelson, o assador incansável das bifanas e coiratos, em acção no Ti Manel.

Carregadas as bikes no Honda do MontiEmídio, partiu, à hora prevista, o grupo Montibiker (Zé Cadilha, Emídio, Félix e Victor) que acorreu ao convite dos nossos amigos BTTretas. Confiados na cuidada escolha de equipamento e de luzes para este noturno, os quatro Montis palraram descontraidamente toda a viagem e foi já no fim do IC19 que começaram a concluir que afinal ninguém sabia onde era o local de encontro - a célebre bomba Repsol da Cavaleira. A salvação foi um telefonema para o sempre disponível presidente Pedro, que "destacou" o Bispo para um FollowMe desde o Modelo de Lourel até à referida Cavaleira. Fim de tarde ameno, muito soalheiro, e o pessoal, bem disposto e preparado, escutou o curto "briefing" do PPP(Presidente Pedro Pais para quem não se lembra) logo em seguida às fotos da praxe. Cinquenta e três pedalantes na minha contagem.
O ritmo de passeio imprimido desde o início dava ocasião para boas conversatas entre os bikers, proporcionando que se apresentassem os que não se conheciam e que tagarelassem com fraternal alegria os conhecidos. Sem necessidade de acender a farolagem que trazia, nem de puxar muito pelo pernil, o pessoal foi percorrendo os campos, estradões e alcatrones de ligação (foi eficaz o controle das entradas em estrada montado pelos nossos anfitriões) da zona de Lourel, Terrugem, Vila Verde, Ral, Campo Raso, aproveitando as paragens dos reagrupamentos, frequentes, para a cavaqueira e para a hidratação, apesar de pouco necessária.
Foi a subir para o Algueirão que se começaram a ligar as poderosas iluminações, a tomarem a vez do sol poente, já desaparecido no horizonte das praias de Fontanelas e Magoito. O nosso PPP aproveitou um derradeiro reagrupamento para anunciar que havia que encurtar o circuito previsto, pois cumpri-lo iria empurrar para muito tarde a chegada ao TiManel. Assim avançámos todos juntos, alongando a fila numa ou noutra subida ou descida, a caminho do Restaurante-Sede dos nossos anfitriões e amigos BTTretas. Bicicletas arrumadas com cuidado e vamos lá explorar o que os nossos generosos amigos resolveram oferecer-nos, o convívio à volta do grelhador.
Eles têm sorte: a sede, o Ti Manel, que frequentam regularmente, dispõe de um largo passeio em frente, que está mesmo a jeito de receber reuniões mais numerosas e, como foi o caso, o ajuntamento de umas boas dezenas de comedores de bifanas e hidratadores de bejecas e tintóis, sempre a aviar pelo infatigável assador Nelson e pelo homem que dava assistência à torneira das imperiais, fresquinhas e vivas que era um regalo.
Tudo bem organizado, com simplicidade sábia: agarra num copo, enche de cerveja, vai buscar um pão, mete-te na bicha, conversa com o vizinho, dá troco ao PPP (sempre a controlar o andamento), chega-te para a frente senão nunca mais vês a bifana, bebe mais um gole (não entornes o copo), chega-te agora ao grelhador e espera a dádiva do Nelson, a carninha morena que te vai rechear o pão. Finalmente! Então já podes ir mastigar e conversar para o pé da malta e fazer uma saúde com os Tretas, os Bicicletando, os Porquinhos da Ilda, os de Lourel, etc. etc.. Quando acabares a primeira dose podes meter-te na bicha outra vez para uma segunda e no fim ainda, se fores capaz, terás acesso aos coiratos, um petisco que saiu em beleza.
E os vizinhos não embirraram com a algazarra? Nãssenhoriii! Játão habituades... Gente fixe, há que dizer e reconhecer. Porque os BTTretas merecem, pelo ambiente que conseguem criar e porque não abusam e estão sempre prontos para ajudar!
Chegou a hora de regressar e as despedidas inevitáveis. Abraços e até à vista, PPedroP, Bispo, Fernando, Jorge, Sebastião, Nelson, todos, grandes amigos. Ainda de bicicleta, e com um guia para não nos enganarmos, voltámos ao Honda que nos esperava com nipónica paciência. Com as quatro bikes, aliviadas dos selins, montadas em cima do tejadilho da nobre viatura, abalámos para a viagem de regresso. O MontiFélix foi deixado em boa condição junto à sua casa, com todos os seus pertences, e os restantes apontaram à Torre do Meio. Descarregadas as meninas e fechadas as garagens foram as despedidas e o regresso à família a uma hora simpática, meia-noite e meia, se não me falha a memória. E, para que não se esqueça, andámos à volta dos 17 km, a uma média de 14,4 km/h e eu registei como máxima 38,8 km/h.
Excelente jornada de confraternização. Obrigado amigos BTTretas e até à próxima.

Abraikes para todos do MontiVictor.

1 comentário:

  1. Saber esperar é uma virtude sem dúvida e depois da espera receber um relato destes é divinal, caro MontiVictor as suas crónicas enchem-nos de orgulho MontiBiker. Deliciei-me com as suas descrições, obrigado-
    Abraikes

    ResponderEliminar