Número total de visualizações de página

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Até ao Forte do Freixial, das Históricas Linhas de Torres, passando por Montachique

Pelas 9:00h os Montis marcaram presença na sede eternamente provisória, para darem início a mais um passeio, destino previsto, Cabeço de Montachique.
Partida iniciada com muita calma e muita conversa. Tema central, o jantar de Natal. Recordadas as canecas MontiBikers e o suporte de manutenção do MontiNando.
Pelo caminho das salinas chegamos à Póvoa, rumo ao trilho de Vialonga. Já na variante juntou-se ao grupo um solitário que nos acompanharia até perto do marco geodésico do Zambujal.
Infelizmente o companheiro foi forçado a regressar devido a um furo. Com aros para tubless não arriscou continuar decidindo terminar ali o seu passeio.
E os Montis depois de uma pausa para abastecimento, seguiram para fazerem a bela descida até ao Zambujal. No inicio do segundo troço da descida MontiEmidio teve paragem forçada, furo no pneu de trás.
Câmara de ar com gel, ainda aguentou umas bombadas de ar pelo que não foi necessário a substituíção. Um grupo de uma dezena de bttistas apareceu entretanto a fazerem a mesma descida, optariam por fazer a descida pelo trilho da esquerda e os Montis já tinham decidido fazer o trilho da direita rumo à ponte sobre o rio Trancão. Descida feita rápidamente e com segurança.
Depois continuariamos por alcatrão até à Bemposta. Aqui um obstáculo com o qual já contavamos, o rio. Nunca tinhamos passado por aqui com o rio bem composto, pelo que havia a dúvida se existiria caminho pela margem. De facto havia um pequeno trilho na margem direita e no ponto de passagem para a outra margem o nível da água era baixo, pelo que a travessia foi pacífica. Mas, à sempre um pequeno mas, MontiFélix foi ao banho, ou melhor meteu o pé na poça. Não tinha a velocidade adequada e acabou por se desiquilibrar. Mais uns metros de trilho e retomou-se o alcatrão.
Paragem no Freixial, a câmara de ar do MontiEmidio dava novos sinais de esvazamento e havia que fazer a respectiva manutenção. Aproveitou-se para comer mais umas barritas e alguns para tratarem das meias molhadas.
Agora sim tomariamos a estrada de alcatrão até ao Cabeço de Montachique. Sempre a subir. Junto à entrada para o parque de Montachique apanhamos um trilho por entre um arvoredo. O piso aqui está cheio de plantas e raízes e como é sempre a subir a possibilidade de derrapanço está sempre presente. O troço na fase final não é fácil e mesmo no final o terreno é tão empinado que o desmontar da bike é inevitável.depois atravessamos a estrada nacional e entramos novamente em trilho. O rumo agora é o topo do cabeço onde está localizado um dos fortes das Linhas de Torres, o Forte do Freixial. Paragem para apreciar a vista magnífica, e decididamente MontiEmidio resolve mudar o pneu.
Agora vem a parte mais fácil do passeio, a descida até S.Julião do Tojal. É uma descida de respeito, no troço final a presença de muita pedra provoca um trepidar constante da bike e os braços aqui são chamados a um trabalho suplementar. Entra-se no alcatrão e a descida continua até à rotunda de  S.Julião do Tojal. Depois daqui é só rolar ora por alcatrão ora pelo trilho dos terrenos da Granja.
Em Alpriate MontiFélix toma o caminho da variante e no cruzamento para a Póvoa, MontiNando o caminho para a Quinta da Piedade. Os Montis da torre do meio seguem para Alverca para ao fim de 4:30h e aproximadamente 53km darem por concluído mais um passeio, desta vez Dominical.

Abraikes e boas pedaladas
Fotos

Filmes
Filme01     Filme02     Filme03     Filme04     Filme05     Filme06     Filme07     Filme08
Filme09     Filme10     Filme11     Filme12     Filme13     Filme14     Filme15     Filme16

4 comentários:

  1. Foi um bom passeio mas devia-mos ter saído mais cedo porque ainda eram uns Km valentes e depois foi uma correria a vinda para casa. Nem tivemos tempo de ir à ginjinha ver se havia arroz doce quente, acabadinho de fazer. Portanto quando quiserem fazer um passeio mais longo lembrem-se de sair mais cedo.
    Abraikes

    ResponderEliminar
  2. Mais uma bela volta...com umas belas suadelas a subir. Até tive direito a lavagem do pézinho!!!!
    Mas um pouco longa para mim (deve ser da minha condição fisica...eheh). No final já vinha morto, e dorido. Por isso a tentativa de vir pela estrada para evitar mais dores nas costas...
    Mas sempre deu para chegar a casa ...e para almoçar.
    A lavagem da machine ficou adiada eheh

    Abraikes
    A Félix

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida que para a hora que se pretendia chegar, o passeio foi longo. Mas temos a considerar que a TrekBike também ajudou e que maneira à chegada mais tardia.Para passeios com esta kilometragem teremos sempre que sair mais cedo.
    Abraikes

    ResponderEliminar
  4. Mais uma voltita bem dada...
    Eu bem digo que a hora de verão e a de inverno devem ser antecipadas em meia hora, em relação á dita "hora oficial".
    Sabem? é que quanto mais a malta tem as canetas treinadas, mais a malta se afasta de " la maison"
    Ah pois é...as voltitas da volta do trancão tem tendência a cada vez mais serem consideradas umas voltitas de "passeio ou de descanso", das voltitas mais duras de jornadas anteriores...
    E preparem-se que qualquer dia será necessário também levar o carro de apoio com uma canoa... eh eh... ups...
    Desejo desejar aqui o desejo de desejar um bom natal e um próspero ano de 2012 para todos os leitores deste nosso blog MontiBiker, assim como dos seus entes queridos e amigos.
    Inté breve
    Um grande abraço

    ResponderEliminar