Número total de visualizações de página

domingo, 17 de novembro de 2013

Sabadal de 16 Novembro de 2013 - Fortes de Linhas de Torres

O Track


Fortes das Linhas de Torres, grande desafio e grande resposta dos Montis com cinco guerreiros a comparecerem para subir, subir e mais subir.
                Com um trajecto estudado durante a semana, partimos da sede provisória pelas 8:40. O primeiro objectivo era o Reduto da Boavista, pertissimo do conhecido  “Boneco de Alhandra”.
                MontiArmando sugeriu neste primeiro troço uma pequena alteração ao estabelecido, uma passagem mais sinuosa pelo Sobralinho.
                Depois de uma breve paragem no Reduto, a subida para o 2ºponto, o Forte 1º da Subserra, local por onde tantas vezes passamos mas nunca o relacionando com as Linhas de Torres. Um pouco mais à frente  a Bateria Nova da Subserra, também ela bem simulada pela vegetação. Continuamos a subir, sim porque isto de visitar os Fortes só tem uma tendência, SUBIR.
                Passamos pelos Fortes da 2ª e 3ª Subserra mas nem nos apercebemos, só agora que estou a escrever a crónica e olhando para o mapa, dou conta que não fizemos a identificação do local.
Chegamos ao Reduto Novo da Costa da Freiria, em várias ocasiões passamos por ali e nunca reparamos na fortificação.
Finalmente a primeira descida mas logo de seguida a “subidita” para os Forte da Serra do Formoso e Forte do Formoso, dois fortes muito próximos  e com uma vista espectacular.  Este local nunca tinha sido visitado pelos Montis, só o MontiLuís conhecia aquando do passeio da Xtrilhos.
Seguiu-se uma grande descida até ao Trancoso. As fortificações que se seguiam, as Baterias do Bulhaco não foram visitadas, teriamos de fazer um desvio e anulamos essa visita.
Para chegarmos ao Forte do Casal do Cego, que era o seguinte, teriamos que atravessar uma pedreira. Com o portão e com receio de existência de algum animal bravo de 4 patas, resolvemos explorar os terrenos circundantes, mas não tivemos sucesso. Um grande declive apareceu-nos pela frente. Ao regressarmos MontiTiago que vinha à frente tomou um outro trilho e para nossa surpresa fomos desembucar mesmo dentro da pedreira . Assim só tivemos um remédio foi continuar e esperar que nenhuma “besta” surgisse no caminho.
Alcançamos o Forte do Casal do Cego. Uma fortificação grande e bem conservada e que bela vista desfrutamos. O forte que se segue era  visível bem ao longe no horizonte, não sei se foi por isso que desmobilizou o MontiArmando ou se a razão era mesmo o ter de fazer o grelhado para o almoço. O certo é que tivemos que regressar e a ída ao Forte da Carvalha e restantes fortificações ficou adiado.
Iniciamos o regresso por trilhos sugeridos pelo MontiArmando. À do Mourão, alto do Mato da Cruz e depois a descida até Arcena.

Nesta descida MontiVictor teve um “Beija Flôr” suave, sem mossas no “cromado”.
No próximo sabadal faremos a entrega, com a devida cerimónia do emblema “BF”.
Em Arcena após as despedidas o grupo dividiu-se a juventude para um lado e os séniores para outro a rumarem à garagem do nº4 para mais uma sessão de alongamentos.
Para todos uma boa semana
Abraikes
MontiCadilha

Fotos

 o Filme 

2 comentários:

  1. MontiEmidio sábado teremos a entrega do Beija Flôr novo formato visto que o anterior era pequeno e parece que não se aguentou na bike.
    Abraikes

    ResponderEliminar