Número total de visualizações de página

terça-feira, 16 de julho de 2013

Sabadal de 13 Julho 2013

Os Montis Luís e Cadilha fizeram-se aos montes neste Sabadal com o tempo um pouco ameaçador.
Na sede da APOGMA ainda nos fizemos de convidados aos companheiros que aguardavam pela chegada do guia mas de imediato desistimos porque o passeio seria em planície,
Fomos pelo alcatrone até ao Forte da Casa e entramos nos trilhos em plena subida.
MontiLuís ausente nas últimas cinco semanas requeria um andamento inicial um pouco moderado.
Até há Mata do Paraíso faríamos o percurso do último AlvercaBike.
Na subida para o Marco Geodésico do Zambujal encontramos dois companheiros a observarem aquela que será a estação de painéis solares.
Logo nas apresentações fomos informados pelos companheiros que eram surdo-mudos.
Foi um encontro inesperado mas muito simpático. Tentamos através de gestos e não só encetar uma conversa e acabamos por nos entender na perfeição.
Ainda convidamos os companheiros a fazerem o passeio com os Montis mas recusaram porque um deles era a primeira vez que pedalava pelos montes.
Continuamos a nossa subida para o marco. Depois de uma breve pausa para o abastecimento realizamos a descida para a ponte do Zambujal.
Um briefing e a decisão foi trilho da Bemposta. Em Bucelas abastecemo-nos de água e o je comprou uma banana, MontiLuís não alinhou.
Depois do trilho da Bemposta, bem conhecido dos Montis, regressamos a Bucelas para entrarmos na Quinta do Boição.
Uma chuva miudinha começava a dar ares da sua graça e que bem vinda que era, bem refrescante.
Depois de deixarmos o Boição para trás e já no alto da serra cruzamo-nos com um companheiro AlvercaBike solitário. Dois dedos de conversa e prosseguimos a nossa viagem agora para o Mato da Cruz.
O tempo estava bastante ameaçador e a chuva não deveria tardar. Assim a decisão de regressar a casa estava mais que tomada. MontiLuís optou por seguir pela Calhandriz e eu rumo ao Cabeço da Rosa. Despedidas feitas e ala que se faz tarde.
Quando passava por cima da CREL começou a cair a dita cuja com grande intensidade, levei com ela até às portagens de Alverca.
A chegada à garagem do nº 4 foi por volta das 12:10 após 48km de bom pedalanço.

            Até à próxima
            Abraikes
            MontiCadilha
  O Filme

Sem comentários:

Enviar um comentário