Número total de visualizações de página

domingo, 3 de março de 2013

Uma ida às "cataratas" da quinta do Boição

O track
clicando terás o track no Gpsies


Foram quatro os Montis que responderam à chamada para este sabadal, MontiLuís, MontiCarlos, MontiTiago e finalmente este vosso cronista que vai tentar dar-vos uma ideia de como decorreu este sabadal, MontiCadilha.
Depois dos minutos de tolerância e do brifing para a decisão do percurso a realizar os quatro bravos do pelotão deram corda aos pedais e fizeram-se ao caminho.
O ponto a alcançar era a quinta do Boição na esperança que as “Cataratas do Boição” estivessem activas.
Eram 8:40 e as bikes começaram a rolar tendo como primeiro objectivo a subida das Areias, seguindo-se o Cabeço da Rosa e fazer uma primeira paragem no Forte das Linhas de Torres. Local ainda não conhecido do nosso mais novo elemento MontiCarlos.
Forças recuperadas o grupo seguiu pelos trilhos em direcçâo a Vila de Rei. Depois de um pequeno desvio por mim provocado, um pequeno lapso de memória do trilho a tomar, recuperamos o caminho certo e mais um singletrack a descer para depois fazermos uma subida em alcatrão com um desnível bem considerável. Foi bonito ver os quatro a terem de ziguezaguear para alcançarem o topo da subida.
Novamente nos trilhos alcançamos um moinho onde fizemos uma paragem para abastecimento e desfrutar a paisagem. Uma zona de vinhas onde se avistava muitos e bons trilhos.
Como nos situavamos num topo o caminho que nos restava era uma descida, maravilha. O trilho que tomamos  desembucou numa vinha e só nos restava atravessá-la. Uma descida com uma inclinação brutal e com imensas valas. É bom descer mas com um pequeno senão, é que normalmente a seguir vem uma subida e foi isso que nos aconteceu.
Por entre um mato raso os Montis subiram, subiram e subiram acabando por atingir um cruzamento num pequeno casario.
Continuamos a subir e finalmente uma descida... and surprise!!! Estavamos à entrada da quinta do Boição. Ouvia-se um barulho forte de água a correr, estamos com sorte, pensei eu, temos  “cataratas”.
Bonito, estavamos encantados e depois de encostarmos as bikes não resisti e subi ao ponto mais alto  para admirar a paisagem.
Antes de deixarmos o local ainda travamos uma pequena conversa com um velhote que reside numa casa perto do ribeiro. Regressava das compras. Revelou-nos a idade, 87 anos e depois das despedidas seguimos o trilho com destino à Bemposta.
Na Bemposta atravessamos o ribeiro e como o leito de água era considerável acabamos por molhar os pés. O que com o frio matinal que estava não era nada agradável. Um pouco mais à frente uma avaria mecânica na bike do MontiTiago obrigou-nos a uma paragem forçada talvez de uns 30 minutos.














Retomando o trilho mais subidas se seguiram depois de passarmos o Parque Aventura do Freixial.
Estava na hora do regresso. Pela estrada de alcatrão tomamos a direcção de Bucelas com a intenção de depois de subir ao Cabeço da Rosa fazermos a descida singletrack do Alvercabike.
Mas ficamo-nos pela intenção porque devido aos meus pés molhados e àquela paragem forçada os meus musculos traíram-me e a descida do Alvercabike ficou adiada para outra oportunidade.
Descemos o Cabeço da Rosa pelo alcatrão, os Montis Luís e Tiago viraram para o Bom Sucesso e eu com o Carlos para Alverca.
Foram 40 km de pedalanço, com uma boa temperatura  e em excelente companhia.
Eu e a minha Scottbike entramos na garagem do nº 4 pelas 12:45 seguindo-se os habituais alongamentos antes de dar entrada no duche.
Como a máquina fotográfica não quis colaborar só tenho 2 fotos
Abraikes
O Filme

Sem comentários:

Enviar um comentário