Número total de visualizações de página

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Um sabadal com muita subida e.... um "beija-flor"


Eram 21:00h de sexta feira e na sede dos MontiBikers festejava-se o 3º aniversário da sua fundação, apenas 3 ausências justificadas e a animação habitual no seio MontiBiker.
Após tomar-se o café delineou-se a estratégia para o sabadal, seis MontiBikers garantiram presença.
Cumprido. Às 8:35 os seis Montis apresentavam-se, Carlos, Luis, Armando, Nando, Cadilha e o nosso sénior Victor, queapós ausência forçada, uma gripe, malvada sem coração, nem uns treininhos lhe lhe foi permitido fazer.
Sem mais demoras e depois de um cafézinho o grupo partiu, o trajecto e destino previamente traçado iria ter como primeiro objectivo o single track dos placards, mesmo paralelo à auto estrada, com Vialonga no horizonte.
Primeiros quilómetros percorridos na estrada Nacional 10 até ao Forte da Casa com uma subidita ainda em alcatrão até à entrada no primeiro trilho.
E para começar logo uma subida bem puchadita que iria causar um primeiro “estrago”.
MontiVictor ainda não totalmente recomposto da sua gripe e com um mês sem pedalanço, tomava a decisão de não acompanhar o grupo, iria rolar em planície.
Continuamos a subir até atingirmos o marco geodésico, onde se inicia a descida do single track dos placards.
Passagem pelo viaduto fantasma da Póvoa e nova subida por trilho até à Quinta da Piedade. Mais “alcatroni” e em frente ao cemitério entrada novamente em trilho e mais uma subidita.
Depois das Bragadas e de mais algumas subidas chegariamos à mata, mesmo por cima de Alpriate onde uma grande descida nos esperava. Seguiriamos pelo Quintanilho para entrarmos na Mata do Paraíso, com subida até ao ribeiro, onde se faria uma pequena paragem para abastecimento e foto de grupo.
Fotos

A grande subida até ao marco geodésico do Zambujal seria a nossa próxima tarefa. É uma subida longa mas compensadora. Não só pela vista que nos é proporcionada mas principalmente pela descida que se segue.
Entramos na descida com o MontiNando tomando a dianteira logo seguido de MontiLuis. MontiCarlos não os perdeu de vista, já o mesmo não direi de mim e do MontiArmando que rápidamente ficamos para trás. Mas não por muito tempo. Uma centena de metros  e paragem forçada, MontiNando deu uma queda aparatosa mas felizmente sem gravidade. Já se encontrava de pé e a sacudir o equipamento. Queda aparentemente provocada por um furo na roda traseira. Mudança de câmara de ar efectuada e vamos embora que se faz tarde. Ou melhor fazia, porque MontiCarlos deu o alerta, o pneu estava novamente em baixo. Nova mudança mas desta vez o elemento que provocou os furos foi eliminado. Um arame de pequenas dimensões mas mau como as cobras. O itenerário préviamente elaborado ficou assim desfeito, com esta paragem tinhamos perdido seguramentemais de meia hora o que fez com que o regresso a Alverca fosse antecipado.
Continuamos a descida com os três audazes elementos a tomarem a dianteira e a desaparecerem rápidamente no horizonte.
Numa curva que antecede uma parte da descida mais ingreme os três estavam novamente parados. MontiNando tinha derrapado numa pedra e nova queda, mas rápidamente se tinha levantado e retomava a descida. A câmara GoPro com estes velocistas só tem hipótese de apanhar os levantamentos porque as quedas, os beija-flores, nicles.
De MontiArmando não havia rasto, à frente não ía de certeza e olhando para trás, nada. Resolvi  voltar para trás ver o que se passava enquanto MontiCarlos continuou a descer avisando os da frente para aguardarem no final da descida.
Lá estava MontiArmando no meio de uma descida calmamente falando ao telemóvel. Este elemento de alta tecnologia, bastante útil para os bttistas, por vezes pregam-nos estas partidas.
Depois de reagrupados no final da descida tomou-se então a decisão definitiva de regressarmos a Alverca.
Por alcatrone, seguiriamos por Bucelas, Vila de Rei, Cabeço da Rosa, Casal das Areias e Alverca.
Chegada por volta do meio dia com aproximadamente 34 km percorridos.
No próximo Domingo estes mesmos Montis estarão presentes no 1º Passeio BTT de Casais do Forno em Lousa, para pedalar os 45km de sobe e desce e depois da banhoca a degustação habitual.
A montagem do filme está um pouco atrasada mas aqui fica o registo fotográfico realizado pelo MontiNando assim como o track.
Abraikes
MontiCadilha  
oTrack

O Filme



6 comentários:

  1. Olá MontiBikers!
    MontiNando anda a assambarcar as flores! Comigo fora, sem concorrência, abarbata tudo o que pode! Tenho de pôr-me em condições para evitar tal exagero.
    Mas passemos a outra coisa: eu abandonei o sabadal mas continuei a pedalar logo que recuperei o fôlego. Fui também pelo viaduto e subi, bicicleta à mão, até à Póvoa, segui por Bragadas, apontei ao Parque de Lazer de Sta. Iria e desci pela estrada velha regressando a Alverca pela variante de Vialonga. Acabei por fazer 23 km a solo. Não chega para preparação dos Casais do Forno mas pode ser que ainda dê mais umas pedaladas preparatórias antes de domingo.
    Parabéns aos Montis que pedalaram no sabadal e votos de que estejam em boa forma para o passeio dos Casais onde, acredito, também haverá flores para quem apreciar cheirá-las.

    Abraikes e saúde para todos.
    Saudação especial ao MontiEmídio, que por esta altura já começa a pensar que, mais mês menos mês, retomará a fisioterapia do pedal. Que tal?

    ResponderEliminar
  2. MontiVictor,
    A sua ausência no resto do passeio foi notada, tem esta semana toda para se pôr em forma, queremos a sua presença no grupo durante a quilometragem dos Casais por isso força nessas canetas.
    O MontiEmidio sabe que tem perdido cenas por estar fora de cena, por isso está a fazer uma grande recuperação e quando se sentar na TreckBike até trepa paredes.

    Abraikes

    ResponderEliminar
  3. Olá Montis, eu sei que este passeio não me portei à altura, pois estive ausente muito tempo sem pedalar. Viu-se na parte final que já estava em esforço para me aguentar nas canetas. Uma coisa que lhes digo em relação à descida do Zambujal, vou continuar a descê-la nas mesmas condições em que fiz neste passeio pois a única razão para eu ter caído foi de o pneu já estar vazio quando fiz o 2º salto, e quando ele poisou no chão não fez a devida aderência ao terreno e por isso resvalei, até porque a queda nem foi muito aparatosa. Lá estarei no Domingo para mais um passeio, a ver se consigo fazer os 45Km, senão desvio para os 25Km hehehehe
    Abraikes a todos

    ResponderEliminar
  4. Nando o mais certo é teres a minha companhia, se chover como está previsto? Esperemos que o repasto esteja à altura (:(:
    Abraikes

    ResponderEliminar
  5. Respostas
    1. O Nando anda cheio de confiança eheh!
      Eu tambem acredito que a queda tenha sido devido ao furo..
      Para a velocidade que iamos, a queda nem foi nada de especial.
      MontiVictor, toca a dar ao pedal! eu tambem estava com gripe e tive alguma dificuldade.

      Eliminar