Número total de visualizações de página

sábado, 27 de outubro de 2012

Sabadal de 27 Outubro 2012



             O Néctar                                                                                                      A D, Laurinda









            
Um Sabadal com presença de 5 MontiBikers, Victor, Cadilha, Armando, um Secreto e o nosso mais recente reforço MontiPaulo.
    Diga-se desde já a pontualidade de MontiPaulo, o único a chegar à sede em cima das 8:30 e veio a pedalar desde Arruda, os restantes chegaram breves minutos depois.
    Impunha-se um passeio não muito puxado ao jeito do Secreto. Foi decidido então um percurso suave, nada de exageros, e em simultâneo a preocupação de escolher um trilho que fosse novidade para o MontiPaulo.
   Assim as bikes rumaram como primeiro trilho, as salinas e depois trilhamos exactamente o mesmo percurso feito no Sabadal passado pelos Montis Victor e Cadilha.
    Depois das salinas, que mesmo com as recentes chuvadas se apresentavam bem cicláveis, entramos na Póvoa de Santa Iria. Passada a rotunda dos caniços direccionamos as bikes para o Forte da Casa e então aí entramos no trilho já por nós baptizado pela rota do Alvercabike, em direcção à Mata do Paraíso.
    Em Vialonga, perto do bairro da Icessa, o nosso sénior MontiVictor, despediu-se do grupo. Altas funções de representatividade do Grupo Ares Novos obrigavam o nosso ilustre companheiro regressar a Alverca.
     Os MontisRestantes prosseguiram o pedalanço para a Mata do Paraíso. Aqui depois de consultado o relógio e o estado físico do companheiro Secreto, foi decidido seguir os estradões até ao Zambujal e pedalar com vigor até ao Tojal para fazermos uma visita à D. Laurinda e degustar a sua bela ginginha.
    Quando bebiamos a dita cuja entrou um camarada do pedal a quem ofereci uma ginginha.  O men recusou, resposta rápida e firme, isso não nem pensar. Bebeu um café e saíu. Logo de seguida foi a nossa vez de sair e surpresa, demos com o camarada a fumar uma grande cigarrada.
      Mais uma consulta ao companheiro Secreto e decisão tomada, seguir pelo trilho do vale até Unhos.
     Já no regresso pelo vale e quando seguía uns quantos metros à frente do grupo, fui abalroado por cinco cães de um rebanho de ovelhas. Durante uns intermináveis  e longos segundos aquelas alminhas danadas não me largaram os tornozelos. Com aquelas dentuças afiadas e constantemente a ladrarem, este vosso cronista não parava de pedalar e de zinguezaguear com a sua ScottBike na esperança que os bichos malvados parassem a perseguição.
     Quando finalmente desistiram de ferrar os meus belos e trabalhadores tornozelos, olhei para trás e vi os grandes sacanas a passarem pelos MontisRestantes numa calmaria impressionante. Conclusão, ou os tornozelos dos meus companheiros não eram convidativos, ou cansei-os em demasia.
      Bom, depois disto foi regressar a casa na santa paz do sossego, sempre em trilho plano.
   Na rotunda do alambique da cerveja, na Verdelha, as despedidas dos Montis Paulo e Armando. Seguiriam via Bom Sucesso e eu na companhia do companheiro Secreto rumo a Alverca.
   Foi mais um Sabadal MontiBiker com aproximadamente 40km percorridos e chegada a Alverca às 12:25h.
    No próximo domingo estaremos representados no 3º passeio da Rota da Água-Pé dos nossos amigos do    Alvercabike
  Até lá Abraikes
                             e boas pedaladas 

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Sabadal MontiDuo de 20 de Outubro



O clima e a meteorologia andam bem em Portugal. Basta lembrarmo-nos de que se fez sabadal porque o boletim anunciava Sol no sábado e chuva no domingo.
E assim foi: o sabadal beneficiou de um fantástico dia de sol, próprio do Outono desta nossa terra, e a dar a esperança de que, quando for tempo de água pé, o São Martinho abrirá a capa do seu Verão para um ameno passeio sem molhar os costados.
Na sede CordeRosa juntaram-se MontiCadilha e MontiVictor, e tiveram o prazer de conversar uns minutos com um grupo das bandas de Odivelas que, pedalando para Fátima, fez paragem de abastecimento na n/sede. Iam pernoitar em Turismo Rural no Arneiro da Milhariça, à razão de 25 euros por cabeça. Exemplo a considerar nas n/futuras viagens. Com fraternos votos de boa viagem despedimo-nos dos peregrinos.
Proposta de MontiCadilha: fazer o percurso inicial do último Alvercabike e, indo pela Mata do Paraíso, subir um pouco mais (Ver fotos) para descer depois ao Zambujal e, talvez, à ginjinha. Na verdade não fomos à ginjinha, reservámos a hipótese para um próximo sabadal mais concorrido. Mas foi feito o percurso previsto, sem dificuldades de maior. Apesar de já ter chovido benzinho, a argamassa lamacenta dos nossos trilhos ainda não atingiu um volume exagerado (ver fotos para fazer uma ideia). Por isso pudemos pedalar bem em todo o percurso, limitando-nos a umas limpezas ocasionais quando os salpicos de lama começavam a engrossar. Do Zambujal descemos a S. Julião do Tojal, daí fomos na direcção de Unhos, para depois darmos uma guinada rumo a Sto. Antão, com desvio para a estrada do Monteiro-Mor e regresso a rolar até Alverca. Em cima do meio-dia o MontiDuo estava na Torre do Meio, com 40 km de pedalagem no papinho e com a satisfação de ter podido aproveitar um sábado bonito. As bikes não protestaram mas acho que ficaram pouco contentes por não terem ido à banhoca (ainda ver foto...). Nem sempre pode ser, minhas queridas. Mas da próxima será...
Boa semana, Montistodos.
E uma rodada de Abraikes.
Deste vosso
MontiVictor




domingo, 7 de outubro de 2012

Os MontiBikers no Entre Barragens Montargil e Maranhão dos BTTretas

Fotos de MontiCadilha, MontiArmando e MontiNando

Filme  o discurso do Presidente BTTretas
clica nos Tretas

Passeio entre as Barragens de Montargil e Maranhão
      Pois é, meus amigos do BTT, mais uma vez fomos premiados com um excelente passeio organizado pelos nossos amigos Bttretas. Tenho pena de não estarem presentes mais Montibikers, pois iriam de certeza gostar deste evento. Uma coisa vos digo, não percam os próximos eventos deste grupo, pois têm sempre muita confraternização e boa disposição.
    Este dia começou cedo para os Montis presentes (MontiCadilha, MontiNando, MontiLuis e MontiArmando), e ainda a presença da minha mulher Carla, que participou no passeio pedestre incluído no evento, para acompanhantes. Eram 5H25 da manhã, hora combinada para encontro e arrumação do material no carro em frente ao prédio nº4, os presentes foram céleres e portanto saímos antes da hora prevista.
    Rumámos ao destino de encontro com os Bttretas, no parque de estacionamento do Lidl da Cavaleira. Fomos dos primeiros a chegar e pelos vistos quem vinha de mais longe, como nós, já se encontrava no local. Aos poucos foi chegando o resto do grupo mais o autocarro, entretanto entre os cumprimentos foi-se arrumando as bicicletas, o que se revelou um pouco demorado, pois já saímos da Cavaleira fora da hora prevista.
    A viagem foi calma, com visualização de filmes sobre passeios feitos pelos Bttretas. Como toda a gente teve de se levantar cedo, houve quem aproveitasse para passar pelas brasas, outros foram conversando até ao destino, que seria a localidade do Cabeção.
    Chegámos ao local um pouco fora do horário que estava estabelecido e isso viria a comprometer a hora do almoço. Após retirarmos as bicicletas e todo grupo estar pronto, fomos tirar as fotos da praxe. Primeiro, aqueles que iam fazer o passeio de Btt e depois os que iam fazer o Pedestre.
    O começo do trajeto foi de alguns metros em alcatrão, para depois passarmos ao de terra batida, onde nos sentimos mais à vontade. O terreno em si era maioritariamente de areia, por isso houve quem vacilasse em certos sítios, onde ela abundava mais. Passámos por certos terrenos onde existiam imensos sobreiros e oliveiras, via-se que nos encontrávamos em terra Alentejana. Nos primeiros 25 Kms tivemos muitas paragens, ou por quem tivesse caído ou simplesmente por aqueles que têm um andamento menos veloz. O trajeto era de nível razoável e fácil, no qual havia poucas subidas e algumas descidas espetaculares. Ao Km 18 estávamos na barragem de Montargil, onde pudemos vislumbrar uma paisagem muito bonita, própria para tirar várias fotos, inclusive a de grupo e também para comermos alguma coisa
     Continuámos caminho até ao Km 40, onde se situava a barragem do Maranhão. Aí existia um empeno grande para alcançar o Miradouro, mas essa subida iria ter a sua recompensa, pois dava para vislumbrar a segunda paisagem magnífica do passeio, onde fizemos novamente a mesma coisa que na primeira, fotos e comer alguma coisa para enganar a fome que já se fazia sentir.
     De seguida fomos para os últimos 13 Kms para o final do passeio, que fizemos por estrada,trilho,estrada, onde houve uma semelhança em relação aos últimos 6 Kms do passeio pelos caminhos do Alviela, em que existiu um verdadeiro despique ao sprint entre vários companheiros para o finalizar em grande apoteose.
    O Grupo que fez o passeio pedestre, já estava algumas horas à nossa espera, e ainda teve de esperar um pouco mais para que se arrumasse as bicicletas no autocarro e irmos aos banhos. O local dos banhos ainda era um pouco afastado do sítio onde se encontrava estacionado o autocarro.
    Por volta das 15H00, quando todos já se encontravam prontos, finalmente rumamos para o Restaurante O Solar da Vila, também aí tivemos de andar um pouco para alcançá-lo, mas o esforço foi compensado com um belíssimo almoço em que houve um ambiente extraordinário de confraternização liderada pelo grande anfitrião Pedro “Le President” dos Bttretas.
    No final do almoço o grupo estava todo bem animado e isso viu-se dentro do autocarro no regresso à Cavaleira.
    Chegámos ao estacionamento do Lidl por volta das 20H00, onde tirámos as bicicletas do autocarro e nos despedimos de todos, agradecendo pelo magnífico dia passado com eles. As fotos e os vídeos vão demonstrar que foi mais um evento bem-sucedido dos nossos grandes amigos Bttretas.
     Um grande abraço a todos e que venha o próximo evento.
      MontiNando
                                                      Filme  O antes e O depois

Filme Parte 1 Cabeção - Montargil

Filme Parte 2 Montargil - Cabeção


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Sabadal de 29 Setembro de 2012


Presentes para mais um sabadal 5 MontiBikers, Armando, Luis, Tiago, Victor e Cadilha. Programa previsto, um pedalanço suave, MontiArmando tinha no Domingo uma maratona bem puxadinha e o esforço tinha que ser doseado.
            Salinas percorridas, onde nos cruzamos com o primeiro grupo de companheiros do pedal, entramos nos terrenos das quintas de Vialonga, Alpriate e Granja.
            A novidade deste sabadal para a maioria dos presentes foi percorrer o vale perto de Unhos onde fizemos o regresso com a intenção de irmos à ginginha da D. Laurinha.
            Como o pedalanço estava com bom ritmo, o relógio só marcava 10:00h, houve a sugestão de se fazer uma subidita. O destino proposto foi Mata do Paraíso, não estavamos longe e ficava a caminho do regresso a Alverca.
            No Zambujal uma paragem junto ao bebedouro para o respectivo abastecimento e alguma cavaqueira, depois a subida para o nosso muito agradável “labirinto” da Mata do Paraíso.
            Antes de iniciarmos a descida pelo labirinto, decidiu-se que hoje não fariamos a visita à D.Laurinda, que nos obrigaria a andar em sentido contrário de casa, ficando assim adiada a prova da ginginha.
            Descida feita. Uma pequena paragem antes de regressarmos ao alcatrão no Quintanilho e um encontro com dois companheiros do Armando. Descida então ao Quintanilho e entrada nos trilhos dos caminhos de Fátima. Na passagem por um dos caniços aí existentes, o guiador da bike do MontiArmando prendeu-se numa cana obrigando-o a sair disparado do trilho mas sem cair, portanto não “beijou a flôr”. Um companheiro que pedalava solitário juntou-se aqui ao grupo.
Pedalanço retomado. Na estrada dos caniços surgiu a dúvida ir pelas salinas ou pela central de cervejas e a decisão foi a última pois ficava já na direcção do Bom Sucesso e Sobralinho destino de alguns dos pedalantes.
Logo a seguir ao viaduto da autoestrada o nosso companheiro solitário saíu do alcatrão e entrou no trilho, os Montis seguiram em frente. Mas nem todos, MontiVictor que vinha um pouco mais atrasado não se apercebeu desta separação e o seus olhinhos só viram o solitário a subir pelo trilho. Como o nosso sénior é um grande amante de uma boa subida foi atrás do solitário.
Em frente à central de cervejas demos por falta do nosso bem amado companheiro. Paragem efectuada e esperamos. Mas nada, como MontiVictor não dava sinais, os Montis Armando e Tiago foram investigar. Alguns momentos depois decidi telefonar ao nosso perdido mas sem sucesso. Bom decidimos regressar na esperança de que o nosso bom amigo já tivesse dado pelo desencontro e regressado a Alverca. Toca o meu télélé, MontiVictor está no Forte da Casa e ficou combinado encontrarmo-nos na garagem.
Depois deste pequeno precalço lá continuamos fazendo as despedidas na rotunda do alambique. MontiArmando e MontiTiago para o Bom Sucesso, MontiLuís seguiria para o Sobralinho.
Eu, agora solitário a caminho da garagem do nº4 onde já na companhia de MontiVictor fariamos os nossos habituais alongamentos.
Passava pouco do meio dia depois de percorridos cerca de 33km, com um tempo e temperatura formidável para a prática deste nosso belo desporto.
Para a semana o muito esperado passeio organizado pelos nossos amigos BTTretas, entre as barragens de Montargil e Maranhão.
Até lá Abraikes e uma boa semana de trabalho.  
O filme