Número total de visualizações de página

domingo, 30 de dezembro de 2012

Momentos MontiBikers em 2012


O 2012 não não foi um ano com muitas participações em provas organizadas, a crise está aí, não deixando contudo de ter sido um ano com muitas e boas pedaladas.
Os MontiBikers cresceram com as novas adesões, jovens com muita força e animação. Os novos MontiBikers, Luís, Armando, Tiago e Paulo, vieram dar mais força e juventude ao grupo.
Praticamente todos os fins de semana trilhamos por vários montes na companhia de muitos e bons amigos.
Os nossos amigos BTTretas destacam-se pelas suas grandes iniciativas, onde o companheirismos é extraordinário. Com eles estão sempre presentes o pessoal amigo do Lourel, do Bicicletando, dos Bola de Berlim e outros mais amigos.
Os nossos amigos do Alvercabike com as suas duas grandes realizações, a maratona e a Rota da água pé, esta sem dúvida a mais animada.
O nosso amigo Mário Caetano, o Arrábidabiker que nos acompanhou na Ecovia do Dão.
Este ano participamos no 1º grande evento dos amigos da APOGMA, o seu 1º aniversário num passeio também bem organizado.
Com os muitos Sabadais e um ou outro Dominical os Montis mantiveram-se activos neste 2012. Pena é que nem sempre seja possível passeios com a participação de todos os seus elementos.
Tentei fazer um resumo dos nossos passeios num só filme, foram muitos e bons momentos, pelo que é difícil fazer uma escolha. Mesmo assim deixo-vos esta pequena “Revista Magazine” do ano 2012 MontiBiker.

Abraikes
MontiCadilha
Momentos MontiBikers em 2012


sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

MontiJantarNatal 2012

     Foi na quarta-feira dia 12 o Jantar de Natal dos Montibikers onde marcaram presença os 11 magníficos.
Este ano o restaurante contemplado com a nobre presença dos MontiBikers foi o Zé Carteiro na Quinta da Piedade. Com o espaço renovado, o Zé Carteiro tinha à nossa espera uma sala privada onde nos foi servido um belo jantar.
     A lista era variada e prometia, e os Montis avançaram sem medos, choquinhos à lagareiro, espetada de polvo, costeleta de novilho, bifinhos de peru e o prato mais pedido foi o sexprato maminha de ... acho que era uma mistura de carnes. Para acompanhar, vinho da casa e cerveja. As sobremesas foram variadas e claro no final o café.
      O jantar foi animado e recordaram-se alguns dos bons momentos vividos ao longo do ano pelos Montis.
Antes do café foi distribuído aos presentes algumas recordações:

do MontiEmídio um tapete para o rato do computador


do MontiCadilha um calendário 2013

do MontiVictor uma grande barra de chocolate

      E mais um ano que passou com muitos e variados passeios. O grupo MontiBiker a crescer com a adesão de  mais elementos. Juventude com muita força e habilidade para trilhar nos Sabadais e outros passeios Dominicais.
     Esperemos que o 2013 seja um ano de bons momentos de BTT onde possamos trilhar em alegre convívio MontiBiker.
     Será que é em 2013 que os Montis vão a Santiago de Compostela? Será o grande desafio.
     Para todos os MontiBikers e seus familiares
                                                             um Santo e Feliz Natal
                                                      Bom Ano Novo com muita Saúde

     Para os nossos Amigos e habituais leitores deste nosso blog 

                                                             um Santo e Feliz Natal
                                                      Bom Ano Novo com muita Saúde
e
                                                   Muitas e Boas Pedaladas

As fotos do MontiJantarNatal

Filme

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Meia Maratona de Canha 02/12/2012
























 Crónica de MontiArmando
Eram então 7:00 da manhã do dia 2 de Dezembro, quando o nosso Montifriend Paulo chegou á minha casa, ponto de encontro que tínhamos combinado para encontramo-nos. Fui então buscar a minha carrinha para se começar a guardar os sacos e as bikes.
Depois de bem seguras partimos em viagem até Canha, para participarmos na maratona de btt de Canha.
Depois de passarmos Porto Alto começamos a reparar que o terreno estava todo branquinho, mal sabíamos o frio que nos esperava! Chegamos a Canha por volta das 8:15, mais concretamente ao quartel dos bombeiros voluntários de Canha.
Carrinha estacionada, assim que abrimos as portas levamos logo com um calor estranho na cara, a que chamam FRIO, mas estava mesmo frio, não é brincadeira! Estavam dois graus! Quando íamos levantar os dorsais, cruzei com o meu amigo Fernando, da equipa Bike Clinic, por acaso foi um dos elementos deste team que ganhou e outro ficou em terceiro, depois dos cumprimentos e apresentações fomos logo levantar os dorsais, antes da confusão e das longas esperas normais que costuma acontecer nestas provas. Já ao pé da carrinha e depois de colocar os dorsais nas bikes começamos a tirar a roupa que trazíamos e a preparar para começarmos a fazer um aquecimento.
Foi então ao calçar as luvas que o Paulo reparou no frio que iria passar, pois as luvas dele eram de verão, por acaso eu tinha na carrinha umas luvas de um amigo meu que se tinha esquecido delas na carrinha, o Paulo bem que agradeceu o esquecimento alheio…
Fomos então dar umas voltinhas para aquecer e fazer tempo para o inicio da prova, quando se aproximava a hora da partida decidimos colocarmos perto do partida para evitar as confusões e atrasos normais, pois estavam 785 inscritos!
Depois de uma música ambiente que tocava para entreter o pessoal, ouve-se uma senhora da organização a dar a palestra da praxe em relação ás sinaléticas a sinalizar o percurso, o respeito pelas regras de trânsito ao cruzarmos com estradas, o agradecimentos aos patrocinadores, etc.
Foi então dada a partida, demos uma volta pelas ruas de Canha para os moradores, adeptos do BTT e familiares e amigos de todos os presentes contemplassem os atletas desta prova.
Logo cedo o “pelotão” ficou esticadinho, o MontiPaulo desde cedo queria acompanhar os da frente, mas a camaradagem com o MontiArmando, fê-lo abrandar o ritmo. Logo ao entrar nos trilhos reparamos que o terreno estava com muita lama.
Passado uns km começaram os atrasos, a lama era tanta que os meus v-brakes começaram logo a ficar cheios de lama, ficando impossível andar com a bike, pois estava sempre a travar. Depois de limpar a lama reparei que afinal não era só a lama que estava a travar, a roda estava com um ligeiro empeno e roçava nos calços, travando assim a cada volta que dava a roda! Problema resolvido logo pelo MontiPaulo que tirou o conjunto de ferramentas e deu mais folga ao cabo, mas resolvido o problema de não roçar e travar a roda apareceu outro, o tempo de travagem! Mas problema resolvido e uma paragem de cerca de 15 a 20 minutos entre o limpar a lama e perceber o que travava a roda e depois a reparação.
Entretanto fomos ultrapassados por muitos atletas, mas logo começamos aos poucos a ultrapassar o pessoal, o que não era fácil devido ás condições do terreno pois em muitas situações tínhamos que andar com as bikes á mão porque era tanta lama e poças enormes que era impossível andar montado! Passado cerca de 27 km chegamos ao primeiro abastecimento, o MontiPaulo já bebia uma garrafinha de água quando cheguei, fui logo comer uns gomos de laranja e beber um copo de sumo ou bebida energética, não sei bem o que era, sei que logo depois de beber fiquei com uma ligeira indisposição, e que passado uns km transformou-se numa grande indisposição! Tive que deitar cá para fora tudo o que tinha ingerido, percebem o que quero dizer, fiquei logo marcado para o resto da prova! Pois voltei a ter esta indisposição umas quatro vezes!
O que fez que me atrasa-se a mim e ao MontiPaulo que sempre me acompanhou ao meu ritmo, que não era muito… embora não fossemos a um ritmo elevado que gostaríamos de ter ido, e depois de problemas mecânicos e físicos acabamos os 55 km da prova em 377 e 378 com 4:05, tempo muito longe do que esperávamos fazer!  
Terminada a prova fomos lavar as bikes, que foram lavadas pelos bombeiros com as mangueiras de alta pressão usadas para o combate ás chamas. Depois de lavadas fomos para a carrinha estava na hora de arrumar as bikes.
Enquanto descansava e comia umas coisinhas que tinha na carrinha MontiPaulo foi para os balneários dos bombeiros para tomar um banho, mas logo se arrependeu e voltou para trás pois já não havia água quente. Arrumadas as bikes, voltamos para Alverca para regressarmos ás nossas casas e aí sim tomar um belo de um banho bem quentinho.
E assim foi o dominical de 2 de Dezembro destes dois Montis.

MontiArmando                                              MontiPaulo
 



Queres ver mais fotos, clika no link da primeira foto

Se alguém tiver mais fotos desta meia maratona e que as queira partilhar, pois que mas envie.

Inté

domingo, 2 de dezembro de 2012

Sabadal do 1º de Dezembro na Rota de Frielas


A chuva meteu umas fériazinhas e os Montis aproveitaram a deixa. Infelizmente só dois guerreiros apareceram para enfrentar o frio deste 1º de Dezembro.
Os Montis Tiago e Cadilha às 8:35 estavam na sede prontos para o pedalanço, ainda fizemos um compaço de espera na esperança de mais algum pedalador, mas em vão.
Como os terrenos não estavam para grandes aventuras a decisão foi mais uma vez A Rota de Frielas. MontiTiago já não a fazia à uns tempos e com o friinho que se estava a fazer sentir a partida foi dada de imediato.
O sol estava bem presente mas ainda era insuficiente para aquecer as nossas almas.
Os terrenos nas salinas, davam desde logo o sinal de como iriamos encontrar os trilhos ao longo do nosso passeio.
Água, muita água, logo muita lama, especialmente no trilho de Vialonga.
Em Frielas a água e a lama nos trilhos era tanta que a opção teve que ser inevitávelmente o alcatrão.
Mas o vento também foi nosso companheiro e no vale para os lados do Tojal empurrava-nos em sentido contrário. Com os meus “pézinhos” já ensopados e a levarem com todo aquele ventinho fresco começavam a ficar gelados. Nem o sol que agora estava mais quente era sufuciente para alegrar os dedos dos pés.
Como Monti que é Monti não quebra, estes assim o fizeram e foram à luta.
Na rotunda do Aki os Montis separaram-se, MontiTiago ainda ía dar um banho na sua bike no Elefante Azul perto da ponte da Silveira eu lavaria a minha mais tarde.
Foram perto de 40km com uma boa média, ainda não eram onze horas e já estava a entrar na garagem do nº4.
Se o tempo ajudar esperemos que no próximo fim de semana haja mais Montis para pedalar, uma larga participação torna sem dúvida os passeios mais alegres e divertidos.
Até lá Abraikes  
O Filme destes dois Montis solitários