Número total de visualizações de página

terça-feira, 29 de maio de 2012

Passeio na Ecovia do Dão 26-05-2012

Olá amigos Montis, vou começar esta crónica com uma canção que condiz com o passeio que fizemos: “Indo eu, indo eu a caminho de Viseu….”. Tudo começou às 6 da manhã de Sábado passado na garagem do prédio nº 4, com um tempo que prometia ser bom. Quando cheguei havia um Monti (Mário) em dificuldades, pois após ter dado uns sprint’s dentro da garagem saltou alguma peça das mudanças e não estava a ser fácil repor a roda no sítio. Depois de alguns minutos de paciência lá conseguimos por a bicicleta em ordem para nos pormos a caminho. Os participantes deste passeio foram: MontiCadilha; MontiEmídio; MontiFélix; MontiNando; (Monti) Mário; Aspirante a Monti (Catarina) e a acompanhante Carla. Com as bikes montadas em cima dos carros e sem falha de material, partimos às 6H15 e lá rumámos à estação de Santa Comba Dão. No caminho fizemos uma pequena paragem na estação de serviço de Leiria para um café e para alguns, o pequeno -almoço. Durante a viagem, como tinha posto o Gps a indicar para Santa Comba Dão, tomei a liderança da caravana uns Kms à frente e foi o desastre, em vez de sair para a estação de comboio, fui para o centro da Vila, é claro que depois deste erro eu parei o carro e o MontiCadilha chamou-me todos os nomes possíveis pela burrice da minha iniciativa (OK, MontiCadilha eu perdoo-te). Se formos a ver, até foi uma burrice engraçada, pois chegámos ao nosso destino mesmo à hora planeada (9 Horas). Começámos a tirar as bikes de cima dos carros e o material dos porta-bagagens, alguns como têm material mais profissional, demoram mais tempo a prontificar-se (MontiCadilha). Eu como estava a ver que íamos ter sol pelo caminho, prontifiquei-me a fornecer o protetor solar a quem quisesse. Depois de aprimorados fomos tirar a foto da praxe na entrada principal da estação. Antes de partirmos tive de programar o Gps à minha mulher em direção a Viseu, à rua do restaurante que o nosso MontiVictor tinha indicado. Ela foi mais a minha filha Catarina, a aspirante a Monti, pois achámos melhor ela não fazer o percurso todo, por estar na eminência de não o concretizar e assim só nos acompanhar na volta porque a maior parte do percurso era a descer. No início a pista era de cor azul, isto porque a fronteira entre concelhos era feita por mudança de cor da pista. Primeiro seria Santa Comba Dão (azul), depois Tondela (verde) e por fim Viseu (vermelho). Nos primeiros Kms tivemos a companhia do Rio Dão e de toda a bela natureza em seu redor, fizemos uma pequena paragem na ponte sobre o rio para fotos. Pelo caminho podia-se avistar alguns animais (lagartixas, diferentes pássaros, ovelhas), o estado de conservação desta infraestrutura estava em condições mas ainda com algumas remodelações, principalmente nos apeadeiros. Por vezes apareciam sítios com bancos para as pessoas poderem descansar. Já no concelho de Tondela (pista verde), chegaram devagarinho para nossa surpresa os primeiros pingos de chuva que nos seguiram ainda durante alguns Kms. Parámos para comer alguma coisa, numa dessas paragens num apeadeiro, existia uma associação de caçadores e pescadores da zona e que estavam a preparar algum petisco, pois estavam a começar a atear fogo num fogareiro. Nós ainda perguntámos se prolongava pela tarde pois podia ser que na volta parássemos por lá, para o petisco. Como estávamos já encharcados da chuva o Mário aproveitou para nos incentivar a continuar, pois com estas paragens o corpo arrefece mais depressa e é mais suscetível de apanhar uma bela constipação. Fomos parando várias vezes para tirar fotos e fazer vídeos. Uma vez em que ia à frente do grupo parei para contemplar um grupo de ovelhas, que estavam mesmo junto da pista, mas quando me aproximei elas fugiram. Foi nessa altura que o resto da malta passou por mim e disseram se eu estava com intenções de levar às costas alguma (hehehehe). Outra situação engraçada feita por nós foi o de gritar a plenos pulmões na passagem dentro dos tuneis escuros como o breu, parecíamos uns loucos. O apeadeiro de Torredeita foi o local onde estivemos mais tempo parados porque aí se encontravam para contemplação, as antigas carruagens e locomotiva, que pertenciam à antiga linha férrea por onde nós agora andávamos. Foi engraçado o regressar ao passado estando aos comandos da velha locomotiva. Após esta paragem, mais à frente ainda tirámos umas fotos também no apeadeiro do Mosteirinho. Depois ao fim de alguns Kms chegámos ao fim da pista em Viseu. Como eu ia mais adiantado que os outros, programei o Gps para nos levar à rua do Restaurante que o nosso sénior tinha recomendado, onde nos aguardavam a minha mulher e a minha filha aspirante a Monti Catarina. Ao chegarem perto de mim eu disse-lhes que o Gps já estava pronto para nos guiar até ao Restaurante, quando viram que estava a ir para trás novamente, já não acreditavam na minha rota para o mesmo. Desta vez fomos parar mesmo ao local certo. A minha mulher já tinha ido ao tal Restaurante “Muralha da Sé” para reservar mesa, o que acabou por ser desnecessário pois o valor da refeição seria muito alto e acabámos por ir a outro uns metros mais à frente, a “Tia Iva” indicado por um habitante local, esse sim já com um valor mais baixo e não deixou de ser bom na mesma. Depois do repasto e antes de regressarmos a Santa Comba Dão ainda tirámos uma foto de grupo em frente à Sé. Na volta, a minha filha fez-nos companhia, embora com relutância do nosso MontiMário, que me aconselhava a que a minha mulher fosse ter a Sabugosa pois achava que a Catarina não ia conseguir superar o desafio. Achei que ela conseguia e por isso nós fomos para o início da Ecovia em Viseu, fizemos um caminho diferente daquele que era indicado pelo GPS e verificámos que tinha sido o caminho mais rápido. Ainda deu para vermos em funcionamento o funicular de Viseu. O percurso correu bem, parámos em alguns sítios para descansar, repor as energias, apreciar paisagens e tirar fotografias. A 2 kms de acabar o passeio a aspirante a Monti Catarina ressentiu-se das pernas, sendo incentivada por nós a continuar mesmo sendo mais devagar, pois já estávamos perto do fim. Chegámos a Santa Comba Dão por volta das 18h15, comemos alguma coisa, arrumámos as bikes, despedimo-nos e iniciámos a viagem de regresso a Lisboa. Este passeio decorreu sem incidentes, portanto podemos concluir que foi um ótimo passeio. Abrikes a todos e até ao próximo passeio!

Filmes Montibikers
Iª Parte zona azul concelho Stª Comba Dão

IIª Parte zona verde concelho Tondela

IIIª Parte zona vermelha concelho Viseu parte I

IIIª Parte zona vermelha concelho Viseu parte II

O Regresso





domingo, 27 de maio de 2012

Os MontiBikers na Ecopista do Dão

Os MontiBikers foram percorrer a Ecopista do Dão. Antecipando-me à nossa MontiCrónica e à edição dos filmes, que por ter sido um longo e belo passeio deu origem a muito material, o que vai requerer algum tempo de montagem, deixo já as minhas fotos.

Fotos MontiCadilha

Fotos MontiEmídio

Filmes MontiEmídio


terça-feira, 22 de maio de 2012

Ainda sobre o 3º Passeio AlvercaBike

Filmes MontiBikers Parte I e II

Com filmes e fotos de MontiCadilha e MontiEmidio aqui fica mais um registo.
Mais uma produção MontiBikers

Os MontiBikers no 3º Passeio AlvercaBike Parte I


Os MontiBikers no 3º Passeio AlvercaBike Parte II





domingo, 20 de maio de 2012

Um trio no Sabadal de 19 de Maio


As Fotos


   Este Sabadal teve a presença de 3 MontiBikers, os Montis Victor Luís e Cadilha. Com plano de trilhos por percorrer ausente, demos início ao Sabadal pelas 8:40 na mais antiga sede provisória dos Montis, com um primeiro rumo , Sobralinho.
   MontiVictor tomou a dianteira e a caminho da pedreira da Cimpor, sugeriu fazer-mos visita ao miradouro de Alhandra, para uma foto do trio.
   Depois de subirmos para a pedreira fizemos o desvio para a Subserra percorrendo aqueles montes até a um trilho sem saída. Boa, depois de uma descida teriamos de virar as bikes ao contrário e fazer a subida. Opção tomada depois da subida trilhar caminhos até S.João dos Montes.
   MontiVictor ía traçando o percurso e nós tentavamos acompanhá-lo, o nosso Sénior está com grande pujança.
   Agora as bikes apontaram rumo ao alto da Agruela para depois seguirmos por alcatrão até às Cardosas. Fomos até ao miradouro para umas fotos do trio, MontiLuís ainda não conhecia estas paragens.
   À saída das Cardosas “caíu” mesmo à nossa frente um trilho com uma subida acentuada, e não é que as bikes apontaram mesmo para a dita cuja. Primeiros metros alcatrão e depois trilho em terra, uma delícia. Lá em cima esperava-nos dois moinhos abandonados com uma vista de paisagens magníficas.
   Estava na hora do regresso. Por trilhos nunca antes pedalados este trio acabaria por ir desembocar no cruzamento Alverca/Alhandra/Arruda. Seguimos na direcção do palácio de Trancoso tomando os trilhos para a Calhandriz. Perto da Quinta do Marquêz seguimos pela estrada Nacional em direcção a Alverca.
   No cruzamento da estrada para o Sobralinho despedimo-nos do MontiLuís, e o duo seguiria para a garagem nº 4 em Alverca.  
   Eram 11:35h quando chegámos depois de 38 km percorridos sem que tivessemos sentido uma única pinga de chuva, o S.Pedro esteve sempre ao nosso lado na sua MontiBike.
   Até Sábado a caminho do Dão assim o tempo o permita.
  Abraikes
                                                                           O Filme

domingo, 13 de maio de 2012

3º Passeio do Alvercabike


   Mais um grande passeio do Alvercabike em que os MontiBikers participaram em força, único ausente MontiPedro.
    Os MontiBikers fizeram a sua concentração no Mousel seguindo depois juntos e em cavaqueira para o local de partida junto ao estádio do Alverca. Entretanto demos as boas vindas aos BTTretas Pedro, Bispo e Fernando acabadinhos de chegar. No local da partida lá estava também o pessoal amigo do BTT Lourel que juntamente com os Tretas acabariam por confraternizar no almoço com os MontiBikers Emidio e Nando. Eu não participei porque a minha esposa fez hoje anos e como tal a minha presença à mesa de casa era indispensável. Para eles e para todo o pessoal do Alvercabike um grande abraço.
   Os Montis presentes Victor, Cadilha, Emidio,Félix, Nando e Luís estavam animados para enfrentar os 30km do percurso, MontiLuis iria para os 50Km, é o benjamim do grupo e cheio de ganas para pedalar.
   A partida seria dada por volta das 9:10, um pelotão bem alegre onde não faltava a presença feminina.
   Os primeiros km seriam percorrridos em alcatrão, primeiro pelas ruas da cidade e depois na Nacional 10 até ao Forte da Casa, primeira subida e entrada no trilho.
   Na Mata do Paraíso na primeira divisão dos trilhos 30 e 50km o nosso sénior MontiVictor despediu-se do pessoal pois o Grupo Coral Ares Novos reclamava a sua presença para mais um concerto.
  A partir daqui iriamos subir até Sta Eulália onde estaria a primeira zona de abastecimento e única para os participantes dos 30km. Um pouco antes do abastecimento um sms do MontiFélix dava-nos a notícia de que iria regressar, motivo, uma das rodas da sua bike estava empenada.
  Abastecimento com fruta, bolos e bebidas, o suficiente para recuperar algumas energias já dispendidas, agora só três Montis seguiam juntos, Cadilha, Emidio e Nando. O benjamim nunca mais o vimos, só mesmo na partida, a gana era tanta que o homem desapareceu.
  Agora iriam aparecer os grandes singletracks com descidas espectaculares, todos eles percorridos por nós pela primeira vez. Alguns deles foram abertos de propósito pelo Alvercabike para este passeio.
  Grandes descidas e algumas subidas bem longas, mas foi espectacular. Parabéns Alvercabike.
  Chegada à meta por volta das 12:40 com os 30km percorridos e o dever cumprido, agora era só lavar as “meninas” para depois o almoço mais que merecido.
  Próximo passeio Ecovia do Dão dia 19 assim o tempo o permita.
  Até lá Abraikes e Boas Pedaladas
MontiCadilha
E agora os filmes
Fotos do MontiEmidio
AQUI
 Fotos do MontiNando
AQUI
Filmes MontiEmidio
Filme01   Filme02   Filme03   Filme04   Filme05   Filme06   Filme07   Filme08

terça-feira, 8 de maio de 2012

MontiTreino 06-05-2012




   Pelas 8:30 houve concentração na sede para mais um MontiTreino.
Marcaram presença o MontiVictor, MontiCadilha e MontiEmídio, que pelas 8:40 iniciaram a pedalagem direitos às salinas para seguirem até á Póvoa e continuarem a pedalar (no sentido inverso) aos “Caminhos de Fátima” até á Granja.
   Após passarmos a Granja, fomos surpreendidos por um grande grupo de BTTistas cheios de pressa e em grande velocidade. Mas eram mais que muitos. Quando demos por nós, até a malta do AlvercaBike passou por nós cheios de pressa (ou nós é que íamos devagarinho a passear numa bela manhã de um domingo primaveril).

   Afinal fomos apanhados no meio do 5º Passeio BTT Sociedade Recreativa da Granja. Um passeio com malta animada.

   Separações feitas após passarmos pela “Ribeira de Frielas”, fomos pela quinta da Boiça (local onde tiramos as fotos da praxe) até chegarmos á estrada alcatroada. Em vez de seguirmos direitos a Sacavém, e como o nosso sénior estava com alguma pressa, decidimos subir em direção a Unhos, para em seguida descermos novamente e voltar a passar pela Ribeira de Frielas e regressarmos pelo mesmo caminho.

 

   Chegamos a Alverca á hora prevista, estavam percorridos cerca de 40 kms.









Inté
Boas pedaladas