Número total de visualizações de página

domingo, 30 de março de 2014

O Track
http://www.gpsies.com/map.do?fileId=wussgkmkanopdvtk&referrer=trackList

Depois deuma longa ausência forçada, provocada por uma intervenção cirúrgica ao joelhinho maroto, MontiEmídio apareceu neste Sabadal. Assim juntamente com MontiArmando seríamos um MontiTrio.
Após os 5min de tolerância partimos com o objectivo de um Sabadal rolante, um teste ao joelho. Destino Azambuja para um café na pastelaria  Diamante. Mas em Alhandra alteração de rota por sugestão do MontiArmando, ída à Ponta de Erva nas Lezírias.
Caminho todo ele em estradão, plano, em bom ritmo e com tempo para a observação da fauna.
Chegámos ao destino após 28km de pedalanço, era tempo de um abastecimento e ainda para uma formação de como limpar uma bomba de ar, sendo o formador MontiEmídio.
No regresso uma paragem para breve visita de uma ermida, a Ermida de Nossa Senhora de Alcamé. Aproveitando a presença no local de um companheiro bttista, tirámos a foto de grupo.
Um pouco mais à frente tivemos oportunidade de fazer umas festas a uns cavalitos bem simpáticos, penso serem cavalos de raça Lusitana. MontiEmídio aproveitando a embalagem que levava nem parou.
Ainda antes de atravessarmos a ponte em Vila Franca de Xira, fomos até à margem do rio Tejo para uma filmagem da paisagem, MontiEmídio já estava no tabuleiro da ponte.
Depois de atravessarmos a ponte seguimos sempre pela estrada nacional até Alverca.
MontiArmando entusiasmado na preseguição a dois ciclistas esqueceu-se de nós e desapareceu.
Chegámos a Alverca um pouco antes das 11:30h com 56km percorridos. Muito bom passeio rolante.
Até para a semana
Abraikes

As Fotos

O Filme


domingo, 23 de março de 2014

Sabadal de 22 de Março de 2014 Arruda Santa Cruz

O Track

Dia histórico o deste Sabadal. Quatro Montis, Cadilha,Paulo, Nando e Armando apresentaram-se em Arruda dos Vinhos junto ao quartel dos bombeiros pelas 8:00 para 62km de pedalanço em conjunto. Os Montis Armando e Paulo fariam ainda mais uns quantos no regresso por estrada.
Depois de verificações efectuadas e GPS`s ligados, partimos na companhia de uma temperatura amena, ideal para um passeio de BTT. Nos primeiros kms as subidas são constantes, até parece que alguém andou a roubar as descidas.
Devido às chuvas do dia e noite anterior, uma boa parte do trilho apresentava água e lama, esta em maior quantidade. Fazíamos paragens forçadas para limpar as “meninas” prosseguiamos e logo mais à frente nova paragem para nova limpeza. As correntes das bikes do MontiNando e da minha foram salvas pelo óleo milagroso do MontiPaulo, tal era a secura que apresentavam.
Com 40km percorridos paramos num café para um reforço alimentar e cafeína.Quando entramos no estabelecimento fomos saudados com um grande sorriso pela senhora, mas à saída recebemos alguns nomes não muito abonatórios devido à lama que deixamos como recordação, obrigando a entrada de emergência do balde e da esfregona.
Prosseguimos a nossa viagem agora com mais energias.
Tivemos alguns contratempos nesta viagem, algumas partes do percurso estavam vedados, ora por vedações colocadas pelos proprietários dos terrenos ora por silvas que invadiam de “forma abusiva” os trilhos. Vida de BTTista não é fácil. Umas vezes para trás outras para o lado acabavamos por encontrar novamente o track.
Ainda tivemos uma visita muito breve de uns suaves pingos de chuva, coisa pouca.
Faltavam pouco mais de 10kms para o nosso objectivo quando por sugestão de MontiNando fizemos uma separação do grupo. MontiNando apresentava algum cansaço muscular e como os Montis Paulo e Armando ainda teriam de fazer o regresso de bike sugeriu que fossem avançando que nós prosseguiriamos com um ritmo mais moderado.
Ainda observamos algumas espécies de animais não muito frequentes nos nossos passeios, uma avestruz e alguns veados, quem diria.
Chegamos às arribas. Maravilha, o mar mesmo à nossa frente e Santa Cruz no horizonte. Serpenteamos pela vegetação e observamos lá mais à frente os nossos bravos companheiros. Parecia que mesmo assim não estavamos muito atrasados.
A vista nas arribas é espectacular e os trilhos por vezes muito próximos da falésia obrigam a um cuidado redobrado e até a desmontar da bike por segurança.
Chegamos! E chegamos ainda a tempo de tirar uma foto de grupo com os nossos companheiros. Estavam a acabar o seu reforço alimentar para o regresso.
Fotos tiradas, com a ajuda de um turista simpático e novas despedidas.
Só nos restava ir ao nosso almoço para depois fazermos o regreso de carro, a esposa do MontiNando estava à nossa espera.
Mais um dia em cheio para estes quatro MontiBikers.
Até ao próximo Sabadal
Abraikes
Fotos

Filme



segunda-feira, 17 de março de 2014

Dominical de 16 Março 2014

O Track

Mais um dia espectacular que o S.Pedro nos ofereceu.
Tudo começou pelas 8:20, na garagem um visitante surpresa, MontiArmando precisava de assistência na sua CannyonBike. Ar nos pneus e aperto nos encaixes dos pedais. Problema solucionado e às 8:30 já estavamos na sede ainda provisória. Não eramos os primeiros, esse lugar cabia aos novos elementos Montis, Nuno e ainda o mais novo dos novos, o Rui. Mas as surpresas não ficariam por aqui, MontiLuís que na véspera tinha dito que não pedalaria, já tinha feito 60km no sábado pela tarde, apareceu fresco que nem uma alface.
Estavam assim cinco MontiBikers preparadíssimos para um pedalanço Dominical e o repto foi lançado, Vamos aos Fortes? Em unanimidade - Vamos!
Com o “Boneco” como primeiro objectivo partimos, eram 8:45.
Na subida para a pedreira cruzamo-nos com um grupo de AlvercaBikers, possivelmente a fazerem o reconhecimento para o passeio de 11 de Maio. Não paramos, uma saudação e continuamos a subir. o descanso seria bem lá no alto. Depois foi descer até ao Trancoso para subirmos novamente, agora para o Forte do Cego.
Depois de sairmos de Trancoso tomamos um novo trilho por sugestão do MontiLuís, boa alternativa para atingirmos o Labirinto da Pedreira.
Chegamos ao Forte do Cego, um ponto nunca antes visitado pelos novos elementos Montis, a satisfação era bem visível e o cansaço também.
Com a bela manhã que estavamos a usufruir a vista sobre o vale de Arruda era espectacular, muito sol e zero de vento. Após uns minutos de descanso lançamo-nos para a subida ao Forte da Carvalha. Mais subidas e descidas fantásticas nos trilhos já secos e as silvas ameaçadoras a invadirem os trilhos.
Atingimos o Forte da Carvalha e MontiRui apresentava algum cansaço, mas as pernas ainda respondiam positivamente.
Depois da foto de grupo e do abastecimento, reenício do pedalanço. Destino, a descida do trilho para o Pardieiro.
MontiLuís estava danado para subir, e uma vez no alcatrão em vez de continuarmos a descer para a Calhandriz, nã venha lá mais uma subidita para o trilho.
Mas um pouco mais à frente já não continuamos com a subida, por sugestão de MontiArmando fariamos definitivamente o regresso pela Calhandriz para Alverca.
Já na estrada Nacional Alverca/Arruda as primeiras despedidas, os Montis Luís e Armando, os restantes continuariam até Alverca City.
Foi mais uma Grande Jornada MontiBiker, num dia com uma temperatura fantástica.
Abraikes e até para a semana


O Filme


domingo, 9 de março de 2014

Sabadal de 08 de Março de 2014

O Track

Um sabadal com novidades.
Pelas 8:25h cheguei ao ponto de encontro, não era o primeiro,MontiNando já marcava presença e tinha companhia. Era a primeira novidade, mais uma companhia para os nossos Sabadais, Nuno Costa, sangue novo para os MontiBikers.
Não tardou a chegar o MontiLuis e com os 5 min. De tolerância a chegar ao fim partimos para mais um MontiSabadal. MontiLuis como MontiGuia e bikes apontadas para o Parque Linear demos início ao inevitável aquecimento.
Ao dobrar da 1ª esquina lá vinha MontiVictor, sortudo. Desta vez teve sorte o manganão.
Parque Linear, rotunda dos Caniços, Vialonga e eis-nos a subir para a Mata do Paraíso. Passagem pelo local do último “malho” MontiBiker e subida para o Marco Geodésico do Zambujal.
Depois da foto do grupo e de um pequeno abastecimento lançamo-nos na descida para os “Pneus”. Uma descida sempre espectacular com troços onde à de tudo um pouco.
Seguiu-se a grande subida da encosta dos “Pneus” onde tivemos mais 2 novidades, uma queda, novidade porque foi dada pelo novo MontiBiker e a segunda um desfile de carros e motos TT .
A queda foi aparatosa mas felizmente inofensiva. Continuamos a subir até atingirmos a subestação da EDP de Fanhões. No alto uma pausa antes de nos lançarmos na descida para Bucelas. No final da descida tivemos direito a mais um momento de motos, desta vez uma arrojada descida de duas motoquatro.
Bucelas com paragem no jardim antes da subida para o Cabeço da Rosa, onde faríamos as despedidas ao MontiLuis.
Descida pelo Casal das Areias e rolanço até ao posto de lavagem das bikes onde ficariam os Montis Nando e Nuno. Na companhia do MontiVictor fomos até à garagem do nº4 para mais uma sessão de alongamentos.
Foi mais um Sabadal com 5 fantásticos pedaladores num dia verdadeiramente Primaveril.

Abraikes deste vosso MontiCrónista MontiCadilha  
Fotos

Filme


terça-feira, 4 de março de 2014

Os Montis no dia de Carnaval

O Track

No fim de semana o tempo não nos deixou pedalar, mas nesta manhã de carnaval tivemos oportunidade de invadir os montes.
Três Montis marcaram presença, o grande ausente acabaria por ser o nosso sénior MontiVictor. Depois de ter dito que sim acabou por não aparecer. Ainda esperamos 20 min. Mas não tivemos sucesso e assim não houve cântigo de parabéns pelos seus Juvenis 70 anos.
Levantamos “ferro” eram 8:50h e o destino proposto foi pedreira de Alhandra. Passagem pelo Sobralinho e subida até ao moinho. Depois foi a descida para a Subserra até S.João dos Montes, sem parar subimos ao Alto da Agruela.
Depois foi trilhar caminhos nunca antes pedalados até que fomos parar à propriedade do tio do nosso companheiro MontiLuís. Tivemos direito a uma workshop de agricultura e ainda uma interessante conversa com uma simpática vizinha.
Uma senhora fantástica que apesar da sua idade avançada continua a tratar da sua propriedade sem qualquer ajuda.
Depois de um pequeno meeting tomamos a decisão de fazer o regresso pela estrada de Arruda até ao cruzamento de Trancoso. Para então fazermos a grande subida até ao alto da pedreira da Cimpor.
No alto, uma paragem para se tirar a lama das bikes, que era muita, uma foto  do trio e toca a descer.
Descida sempre espectacular até Alhandra. Como estavamos com a “pica toda” ainda fomos até ao Parque Linear acabando por levarmos o MontiNando à Póvoa.
Despedidas feitas, regresso a Alverca.
Eram 12:50 quando o portão da garagem do nº4 se abriu com 44km pedalados.
Para o próximo sábado lá estaremos se o S.Pedro assim nos permitir.

Até lá Abraikes e bom trabalho 
as Fotos

o Filme

filme da agricultora

descida da pedreira da Cimpor