Número total de visualizações de página

domingo, 24 de março de 2013

BTTretas em Sintra com MontiBikers e Alverca Bike



Que dia meus amigos!
Dois MontiBikers marcaram presença em mais uma organização dos BTTretas. Creio que pelo terceiro ano consecutivo os BTTretas organizaram o passeio para os convidados amigos MontiBikers e Alverca Bike.
Este ano a representação MontiBiker foi  menor, os Montis Cadilha e Carlos estiveram na Serra de Sintra,nas praias e na zona saloia. Já os nossos amigos do Alvercabike tinham uma representação bem numerosa.
Os companheiros de Sintra para além dos BTTretas, marcaram presença os BTT Lourel e os Bike Sintra. Um grupo de malta alegre com muito bom humor e de um companheirismo ao mais alto nível
Antes do ínicio das pedaladas e depois da foto de grupo, o amigo Pedro Pais, o carismático presidente dos BTTretas, deu um pequeno briefing sobre o que iria ser o passeio deste ano.
O passeio começou com uma visita ao centro histórico de Sintra.
O tempo estava um pouco acinzentado e ameaçador quanto à possibilidade de cair alguma chuva, mas a animação era grande e a vontade de trilhar pela bela Serra de Sintra era enorme.
A primeira parte deste passeio iria decorrer pelos trilhos da Serra. A chuva miudinha que nos acompanhou durante algum tempo não nos incomodou nem nos fez abrandar o ritmo.
Não fez a chuva mas fez o furo e um ou outro problema mecânico, mas este grupo espectacular não se incomoda com estes contratempos e o companheirismo na entreajuda nos momentos de urgência mecânica é espectacular.
A segunda parte do passeio foi a visita às praias da zona, Praia Pequena, Praia Grande, Praia das Maçãs e Praia Azenhas do Mar.
Por esta altura já o Sol era nosso companheiro e os impremiáveis foram rápidamente recolhidos. O mar muito agitado e o barulho provocado pela forte ondulação era bem grande.
O pedalar pelas arribas foi um momento espectacular.
A terceira parte foi trilhar os estradões dos eucaliptais e visitar as zonas saloias. Longas subidas principalmente a última.
Foram aproximadamente 35km de grande confraternização com muitos e bons momentos para mais tarde recordar.
Seguiu-se a lavagem das “meninas” e as banhocas dos pedaladores nas instalações dos Bombeiros Voluntários de Sintra, o nosso muito obrigado pelo banhinho quente.
Como não podia deixar de ser veio depois o convívio à mesa na companhia de uma ementa variada e servida com uma fluidez assinalável.
Em nome dos MontiBikers deixo aqui os nossos agradecimentos ao incansável presidente Pedro Pais, aos amigos BTTretas, BTT Lourel, Bike Sintra e conterrâneos Alverca Bike pelos belos momentos de BTT que nos proporcionaram. 
Como devem calcular as belas imagens de Sintra e zonas saloias vão ser colocadas em filme e como foram muitos os bonitos locais por onde passámos, também serão muitas as imagens que irão compôr o filme MontiBiker. Vou pôr mãos à obra para que o filme faça juz ao passeio que nos ofereceram.
Um Grande Bem Hajam
Abraikes 

antes da apresentação do filme do passeio aqui vai um filme de uma das descidas
                                                             FILME
MAIS UM

O FILME DO ESPECTACULAR PASSEIO

Trilho das Arribas





domingo, 3 de março de 2013

Uma ida às "cataratas" da quinta do Boição

O track
clicando terás o track no Gpsies


Foram quatro os Montis que responderam à chamada para este sabadal, MontiLuís, MontiCarlos, MontiTiago e finalmente este vosso cronista que vai tentar dar-vos uma ideia de como decorreu este sabadal, MontiCadilha.
Depois dos minutos de tolerância e do brifing para a decisão do percurso a realizar os quatro bravos do pelotão deram corda aos pedais e fizeram-se ao caminho.
O ponto a alcançar era a quinta do Boição na esperança que as “Cataratas do Boição” estivessem activas.
Eram 8:40 e as bikes começaram a rolar tendo como primeiro objectivo a subida das Areias, seguindo-se o Cabeço da Rosa e fazer uma primeira paragem no Forte das Linhas de Torres. Local ainda não conhecido do nosso mais novo elemento MontiCarlos.
Forças recuperadas o grupo seguiu pelos trilhos em direcçâo a Vila de Rei. Depois de um pequeno desvio por mim provocado, um pequeno lapso de memória do trilho a tomar, recuperamos o caminho certo e mais um singletrack a descer para depois fazermos uma subida em alcatrão com um desnível bem considerável. Foi bonito ver os quatro a terem de ziguezaguear para alcançarem o topo da subida.
Novamente nos trilhos alcançamos um moinho onde fizemos uma paragem para abastecimento e desfrutar a paisagem. Uma zona de vinhas onde se avistava muitos e bons trilhos.
Como nos situavamos num topo o caminho que nos restava era uma descida, maravilha. O trilho que tomamos  desembucou numa vinha e só nos restava atravessá-la. Uma descida com uma inclinação brutal e com imensas valas. É bom descer mas com um pequeno senão, é que normalmente a seguir vem uma subida e foi isso que nos aconteceu.
Por entre um mato raso os Montis subiram, subiram e subiram acabando por atingir um cruzamento num pequeno casario.
Continuamos a subir e finalmente uma descida... and surprise!!! Estavamos à entrada da quinta do Boição. Ouvia-se um barulho forte de água a correr, estamos com sorte, pensei eu, temos  “cataratas”.
Bonito, estavamos encantados e depois de encostarmos as bikes não resisti e subi ao ponto mais alto  para admirar a paisagem.
Antes de deixarmos o local ainda travamos uma pequena conversa com um velhote que reside numa casa perto do ribeiro. Regressava das compras. Revelou-nos a idade, 87 anos e depois das despedidas seguimos o trilho com destino à Bemposta.
Na Bemposta atravessamos o ribeiro e como o leito de água era considerável acabamos por molhar os pés. O que com o frio matinal que estava não era nada agradável. Um pouco mais à frente uma avaria mecânica na bike do MontiTiago obrigou-nos a uma paragem forçada talvez de uns 30 minutos.














Retomando o trilho mais subidas se seguiram depois de passarmos o Parque Aventura do Freixial.
Estava na hora do regresso. Pela estrada de alcatrão tomamos a direcção de Bucelas com a intenção de depois de subir ao Cabeço da Rosa fazermos a descida singletrack do Alvercabike.
Mas ficamo-nos pela intenção porque devido aos meus pés molhados e àquela paragem forçada os meus musculos traíram-me e a descida do Alvercabike ficou adiada para outra oportunidade.
Descemos o Cabeço da Rosa pelo alcatrão, os Montis Luís e Tiago viraram para o Bom Sucesso e eu com o Carlos para Alverca.
Foram 40 km de pedalanço, com uma boa temperatura  e em excelente companhia.
Eu e a minha Scottbike entramos na garagem do nº 4 pelas 12:45 seguindo-se os habituais alongamentos antes de dar entrada no duche.
Como a máquina fotográfica não quis colaborar só tenho 2 fotos
Abraikes
O Filme