Número total de visualizações de página

domingo, 27 de janeiro de 2013

Pelos Trilhos pedreira de Alhandra e Subserra


Depois de um fim de semana tenebroso eis que chega um Sabadal soalheiro e de acalmia.
Neste dia tivemos a participação de um novo elemento, mais um jovem cheio de força, o Carlos Loures. Benvindo Carlos ao seio dos MontiBikers, onde conhecerás trilhos por onde nunca antes pedalaste.
Os Montis Armando, Luís e Cadilha picaram o ponto à hora certa, fazendo o compasso de espera habitua,l sempre na esperança que os grandes MontisAusentes apareçam.
Depois do briefing decidiu-se atacar os terrenos da pedreira de Alhandra.
Seguimos pelos caminhos de Fátima em direcção ao Sobralinho. O guia de serviço MontiLuís levou-nos por trilhos nunca antes por mim pedalados, bons trilhos, parabéns Luís. Então aquelas “subiditas” e os singletracks para o miradouro de Alhandra foram espectaculares.
No miradouro uma paragem para normalizar a respiração e mostrar as vistas ao Carlos.
Seguiu-se a subida para a pedreira. No último trilho do acesso à pedreira tivemos que optar por um novo percurso. Os trilhos estavam bloqueados por árvores que tinham caído aquando do temporal do sábado passado.
Uma grande e voluntariosa equipa dos bombeiros voluntários de Alhandra estavam a proceder ao corte das árvores para libertarem os trilhos. Um grande bem haja aos nossos bravos bombeiros.
A opção foi contornar o monte tomando o trilho da Subserra.
A meio da subida, junto à última vivenda, fizemos uma paragem para abastecimento tendo o grupo sido visitado por um simpático pastor. Mas a estrela foi o “Maricas”, um animal danado para a brincadeira e “cobrição”. Este nosso alegre visitante, como poderão constatar no filme, era de uma enorme simpatia, brincalhão e até deu-nos uma imagem porque era considerado um grande “cobridor”. O nosso companheiro pastor, um bom relator das façanhas do “Maricas” agraciou-nos com uns bons momentos de conversa.
Logo no recomeço do trilho uma grande porção de água barrava-nos o caminho, claro que deu logo a um bom momento de diversão.
A subida que se seguiria seria de grande respeito tanto pelo desnível mas principalmente pela enorme quantidade de pedra solta. Um pequeno engano do guia de serviço, agora era o MontiArmando que tomava a dianteira, fez-nos recuar uns metros. Numa ligeira subida e numa pedra bem escorregadia. MontiArmando teve um deslize e tombou, um autêntico “beija-flôr” mas em plena pedra.
Um pouco mais à frente deparamo-nos com uma “subidita” numa curva onde durante alguns minutos usufruímos de alguns bons momentos de brincadeira.
ontinuamos a nossa subida ao topo do monte para depois iniciarmos o grande prazer que nos dão as descidas, ora em singletrack ora em trilhos mais largos com e sem pedra. A descida levarnos-ía a À-dos-Melros. MontiArmando sugeriu uma visita ao Xtrilhos na Calhandriz, e logo o grupo concordou retomando assim mais uma subida agora por alcatrão.
Simpáticamente recebidos pelo João, proprietário desta pequena mas bem apetrechada  loja de bicicletas, acabamos por nos esquecer do tempo e permanecemos uns largos  minutos nesta simpática loja. Como MontiArmando tinha que chegar mais cedo a casa decidiu-se fazer o regresso a Alverca.
Fizemos ali mesmo as despedidas ao MontiLuís para não fazermos a paragem no cruzamento do Sobralinho, tendo antes os restantes elementos decidirem ir lavar as “meninas” ao elefante azul do Brejo.
Depois da lavagem as despedidas dos restantes elementos, MontiArmando retomaria a estrada do Bom Sucesso e eu mais o nosso novo elemento, MontiCarlos, a estrada até ao centro de Alverca.
Não foram muitos quilómetros percorridos por este animado grupo, mas foi sem dúvida uma manhã de grande convívio e alegria, recuperador de energias para mais uma semana de trabalho.
Para a semana à mais assim o tempo nos permita.
Abraikes 

Fotos

Filme

Track no GPsies


domingo, 20 de janeiro de 2013

Raid do Sobral "Foi por água abaixo"


Caríssimos Montis,

A participação prevista pelos Montis Nando e Cadilha no 6º Raid pelas Maravilhas do Sobral, não se efectivou. Motivos foram dois, o primeiro o MontiNando torceu o pé no passado fim de semana e ficou logo impedido da participação, o segundo foi o mau tempo que assolou este fim de semana e que me afastou a minha participação.
Outras oportunidades virão e a próxima já está agendada, será no 1º Passeio BTT Casais do Forno na freguesia de Lousa.
No entanto não vos quis deixar sem um pequeno filme. A descida completa na zona de Vialonga no nosso primeiro Sabadal de 2013.

Tenham uma boa semana
Abraikes 
Filme


domingo, 13 de janeiro de 2013

Sabadal de 12 Jan.13 Um rolanço/endurance até à Azambuja


Neste Sabadal as presenças foram “mais que muitas” dois, digo bem, apenas dois MontiBikers marcaram presença. É certo que o tempo estava ameaçador mas felizmente só apanhamos uma chuvita muito suave para os lados do Carregado.
Quando cheguei à Sede/ponto de encontro, MontiArmando já lá estava com o receio de que fosse o único a rolar neste sabadal.
Após a tolerância normal, fizémo-nos à estrada, sim, hoje decidimos fazer um rolanço, tipo endurance, num misto de alkatrone/trilho, eram 8:40h.
Destino Azambuja, pequeno-almoço na pastelaria Diamante.
MontiArmando marcava o ritmo com uma cadência à qual eu tinha que acompanhar, é certo que de quando em vez abrandava um pouco para eu não descolar. Mas a média não foi má, eram 10:10 quando chegamos à Azambuja com 30km percorridos.
No Carregado tivemos que sair do trilho, os “menes” da quinta trancaram a passagem e estes vossos amigos tiveram que tomar o “alkatrone” como alternativa e voltar ao trilho um pouco mais à frente, coisa pouca.
O regresso seria práticamente pelo trajecto com algumas alterações para as bikes não “enjoarem”.
Chegados a Alverca, eram 12:05h, fomos lavar as nossas “meninas” que estavam bem merecidas de uma limpeza. MontiArmando devido a compromissos teve que adiar a lavagem. Assim fiquei só na companhia da minha ScottBike desejosa de ir a banhos.
Mais um Sabadal cumprido, tendo sido uma boa preparação para o dia 20, no 6º Raid de BTT Maravilhas do Sobral de Monte Agraço, na companhia do MontiNando.Esperemos que durante a semana não haja muita chuva, poupando assim o terreno, e que no dia do Raid esteja um Sol primaveril a exemplo do ano passado que foi um dia espectacular.
Até lá tenham  uma boa semana
Abraikes

Fotos 

Filme


domingo, 6 de janeiro de 2013

05 de Janeiro Uma ída ao Serves

Clica no mapa e tens o track no GPSIES

O primeiro Sabadal de 2013 foi fantástico, a começar pelo tempo. Foi-nos oferecido um dia com um Sol primaveril, um ligeiro frio matinal e vento nicles. Melhor ainda foi a participação de 5 Montis neste nosso Sabadal, Victor, Armando, Nando, Luís e Cadilha. Ainda não foi desta que todos os MontiBikers  participaram num passeio em conjunto.
A grande novidade do dia foi sem dúvida, e para grande alegria nossa e principalmente do próprio, o aparecimento de uma nova e bela bike no grupo. Muitos parabéns MontiLuís pela belíssima aquisição, uma Canyon AL. Simplesmente Fantástica.

Devido a um pequeno atraso do MontiNando, e de alguma conversa para pôr a escrita em dia, compreensível, o começo do nosso sabadal foi apenas às 9:00h, sem stress.
Tomamos o caminho das salinas, terreno plano para um bom aquecimento, pois os músculos deste pessoal bem precisava, depois de um interregno de quase 3 semanas, e de muita guloseima pelo meio. A ideia inicial era ir até Frielas mas perto do Zambujal houve mudança de planos, como mais adiante explicarei.
Passamos pela Póvoa de Santa Iria, caniços e entramos pelo trilho das quintas de Vialonga. O terreno estava bom, mas de vez em quando tinhamos a companhia de lama. Já na segunda quinta fomos obrigados a voltar para trás, o trilho estava bloqueado por um grande lençol de água. Voltámos para a estrada e seguimos um pouco pela variante. Aqui tivemos uma paragem forçada, era o primeiro furo do ano. O “feliz” contemplado, MontiNando.
Problema resolvido, regresso ao alcatrão e de seguida reentrada no trilho em direcção a Alpriate e Granja. MontiLuís estava em pulgas para pôr a sua Canyon à prova e a sugestão não tardou, vamos trepar? Um trilho mesmo à nossa direita levaría-nos ao Zambujal e dali para os montes até ao Serves.
Uma paragem no fontanário do Zambujal para abastecimento e depois a subida até à Mata do Paraíso. Só aqui é que após uma breve troca de sugestões a decisão do trilho final foi tomada. Trilhar uma parte do labirinto da Mata, subir à pedreira e tomarmos o trilho até ao marco geodésico do Serves.
Para chegar aqui as subidas são constantes e para quem não pedalava à três semanas, os Montis tiveram um comportamento altamente positivo. Bom terei que evidenciar o nosso benjamim MontiLuís, que com a sua CanyonBike trepava a um ritmo impressionante, dando a ideia de que as várias paragens que teve foram puras ilusões.
Serves atingido e devido ao horário que tinhamos previamente estabelecido estava na hora de fazermos o regresso a Alverca. A partir daqui só se vislumbravam umas belas e boas descidas. Os cinco MontiBikers fizeram-se ao trilho pedalando com grande força e grande animação porque tirando uma ou outra pequena subida as descidas eram em grade número.
A chegada ao alcatrão e final das descidas, deu-se no Cabo de Vialonga. Seria aqui a despedida ao MontiNando, o regresso à Quinta da Piedade era para a direita e os restantes Montis tomariam a esquerda como rumo.
Na rotunda do Alambique, na Verdelha, era a despedida aos Montis Armando e Luís, Bom Sucesso e Sobralinho ficava mais perto pela esquerda e os Montis Séniores rumariam pela direita até Alverca.
A chegada à garagem do nº4 seria às 12:15h após 33km de um Sabadal com muito sol, muitas subidas, culminada com uma descida espectacular. Um bom baptismo para a CanyonBike.
Abraikes e até ao próximo Sabadal
Fotos

O Filme