Número total de visualizações de página

domingo, 23 de setembro de 2012

Sabadal de 22 Setembro de 2012


   Eram 8:35 e os Montis estavam prontos para partirem para os montes, só não levantavam a âncora porque um convidado amigo do MontiArmando estava um pouco atrasado. Entretanto eu ía tentando atinar com o meu GPS, aparelho que já não se montava na minha ScottBike à long time ago, acabando mesmo por ser desligado.
   Às 8:45 já com a equipa completa, as bikes começaram a rolar em direcção ao Casal da Areias. A grande subida paralela à CREL, até Cabeço da Rosa tinha que ser vencida sem um bom pré aquecimento.           
   Com os músculos ainda um pouco frios esta subida ainda longa torna-se mais penosa. Mas como diz o nosso MontiEmidio na pequenina chega-se lá.
   Depois do Cabeço da Rosa vencido, fomos até ao Forte, um dos que formam as fortalezas das Linhas de Torres. Local ainda não conhecido de alguns dos MontisPresentes. Uma paragem para um pouco de cultura e a foto de grupo.
   Retomamos o trilho em direcção a Vila de Rei, Bucelas, com as descidas a nos merecerem redobrada atenção porque com a ausência prolongada de chuvas o terreno está muito seco e com muita pedra solta.    Felizmente tudo acabaria por correr bem sem grandes sobressaltos.
   Em Vila de Rei entramos no alcatrão e seguimos até à Bemposta.
Onde habitualmente passa um ribeiro e onde sempre molhamos os pézinhos, agora só existe pedra e mais pedra.
   Seguimos até ao Parque Aventura do Freixial. Um pouco mais à frente viramos à direita e iniciamos uma subida ao lado dos antigos pavilhões do aviário.
   Depois de uma subida nada melhor que uma descida para a recuperação. Só que é uma recuperação com alguma preocupação, passamos por uma habitação onde uma meia dúzia de canzarrões nos acompanham junto à vedação numa barulheira infernal, ai se eles pudessem passar para o nosso lado!!!
  Perto de um km mais à frente temos um miradouro onde fazemos uma pausa para abastecimento e desfrutar a paissagem. Com amoras na redondeza MontiVictor não dispensa uma xinxada, fazendo uma oferta ao ausente MontiEmidio.
   Próximo destino Quinta do Boição. Uns breves mminutos em alcatrão passando novamente pela Bemposta até entrarmos nos trilhos da quinta. Mais uma novidade para alguns dos MontisPresentes.
   Na bela Quinta do Boição agora sem o habitual barulho da água do ribeiro, os Montis pedalam em fila indiana onde para além da imensa verdura têm a companhia da passarada.
  Segue-se uma longa subida até a A do Mourão onde se faria uma paragem na fonte dos tanques de lavagem de roupa.
  Abastecimento e descanso feitos, seguimos para o Mato da Cruz onde fariamos a grande descida, e esta total novidade também para mim, até Arcena. Belo trilho. Pena que o trilho esteja com muita caruma o que o torna em algumas zonas mais inclinadas e em singletrack algo perigoso.
  Chegados a Arcena descemos já em alcatrão até ao Bom Sucesso onde nos despedimos dos Montis   Armando e Tiago e do nosso convidado Paulo, este ainda com um regresso até ao Sobral.
  Montipedro ficaria junto aos bombeiros de Alverca e os séniores rumaram à garagem do nº4, eram 12:30.     Depois das bikes encostadas seguiram-se os habituais alongamentos.

 Foi um Sabadal em grande com muitas novidades e muita subidita. No total foram 34 km de grande companheirismo.
  Até para a semana
  Abraikes
Fotos













Filme

terça-feira, 18 de setembro de 2012

MontiBikers na V Pedalada pelo Ambiente da CMVF Xira

Pedalantes inscritos foram, pelo menos, 1061, o mais alto número de dorsal que eu registei. E Montis participantes foram 7, sendo de destacar a presença da MontiCatarina, filha do MontiNando, uma ciclista desembaraçada e destemida, que é também o nosso elemento mais jovem. E destaco também o reaparecimento do MontiEmídio, que aproveitou a suavidade deste passeio para de novo pedalar com os seus companheiros Montibikers, não pondo em risco a recuperação física que ainda lhe falta completar antes de regressar aos montes e às emoções dos trilhos.
Pelas 8 menos 5, junto ao Cor de Rosa, aparece um biker a fazer cavalinho e com ar risonho, dá os bons dias aos presentes. MontiLuis, apesar de não ter a bike em condições, ao que dizia, parecia afinal não ter qualquer problema. Como podia ser? Engenhoso, sacou da pedaleira os dois pratos problemáticos, arranjou um taco de madeira para anular o curso do desviador e veio ter connosco com a solução monoprato, bem apropriada ao passeio da 5ª Pedalada. Um homem de ideias, o nosso MontiLuis! Pouco depois juntaram-se a nós a MontiCatarina e o pai MontiNando. Cumpridas as saudações da praxe pusemo-nos a caminho. Como estava fresquinho e o sol nem se via, em pouco tempo fizemos a EN 10 até ao viaduto da Cimpor, onde virámos para a zona da marina de Alhandra e continuámos pelo passeio ribeirinho até Vila Franca. Atravessado o jardim seguimos pelo alcatrão até que decidimos, por indicação expressa do MontiEmídio, desviar para o estradão e fazer o caminho do campo até à estação da Castanheira. Aí já muitos grupos estavam presentes e envolvidos no vaivem das filas dos dorsais, das saudações da malta conhecida e da observação atenta das novidades, se proclamadas, da bike do vizinho. Cumprido o levantamento do que o município nos tinha destinado, entrámos na roda das conversas e dos cumprimentos e ainda mal tínhamos começado quando MontiCadilha surge acompanhado de um reporter d' O Mirante que, logicamente, queria conhecer e fotografar os famosos Montibikers! As apresentações formais transformaram-se logo em alegre familiaridade com a evocação da MontiEduarda, montifugitiva e notável colega do loiro Filipe Matias ali presente, o jornalista actualmente encarregado da cobertura do concelho de Vila Franca de Xira. Feitas as fotos, já com o sol a funcionar, desejámos bom trabalho ao nosso jornalista e continuámos a socializar dentro da mancha colorida de bikers, que já ocupava uma área considerável. Como de costume, passadas as 9, o pessoal começou a fazer a crítica habitual à pontualidade portuguesa e entrou-se na fase do ataque à classe política, agora muito vulnerabilizada pelas mais descaradas medidas de invasão do bolso de quem trabalha alguma vez avançadas no nosso portugalito. Quando a queda do governo já estava na ordem do dia eis que se dá o sinal de partida e a serpente de ciclistas começa a deslizar no alcatrão a caminho da Castanheira. O (des)governo não fica esquecido mas vamos é pedalar uns quilómetros em paz e amizade, que foi para isso que nos juntámos todos! E assim foi: a massa enorme de pedalantes, mercê dos reagrupamentos conduzidos pela GNR, manteve a sua espessura e causou excelente impressão, especialmente nas travessias de Vila Franca e de Alverca, onde o público acorreu com mais intensidade a assistir à nossa passagem. Os Montibikers mantiveram-se coesos distribuidos por dois grupos, o dos aceleras - Luis, Armando e Emídio - e o dos ajuizados - Nando, Catarina e Victor - com o nosso MontiCadilha a andar à frente e atrás a fazer a reportagem vídeo com toda a concentração. O prémio da montanha decidiu-se na subida para a Quinta da Piedade e aí, finalmente, todos ganhámos: a satisfação duma agradável e fraterna passeata e... ainda... uma garrafinha de água e uma maçã, reabastecimento final, gentil, que nos foi dado pela Câmara. Nando e Catarina despediram-se aí e foram à procura da Sra. Mota e os restantes apontaram a Alverca, pedalando sem pressas. Armando e Luis seguiram para suas casas separando-se dos três da Qta. da Vala na rotunda da Verdelha. E assim, bem cedo, todos regressaram ao domingo em família que sabe sempre tão bem.
Agora atenção ao Mirante e à reportagem. Se não tivermos o destaque merecido vamos protestar à fugitiva MontiEduarda!!!
Até ao próximo Sabadal, companheiros Montis.
Abraikes.
Victor

Fotos

Filme



domingo, 2 de setembro de 2012

Sabadal de 01 Setembro de 2012

Após 3 semanas de férias eis-me regressado ao nosso blog e às pedaladas MontiBikers.
Neste Sabadal estiveram presentes MontiNando e MontiCadilha, os restantes Montis não responderam ao email do Nando, o mais certo é não terem ido à Net nestes últimos dias.
Após uma ausência de 4 meses MontiNando não podia entrar em grandes pedalanços e eu com 3 semanas sem tocar na ScottBike também tinha que ter calma.
Razão pela qual fizemos um passeio de puro rolanço, foram 37 km em 2:45h sempre em plano, ora em trilho ora em alcatrão.
Aqui fica uma foto tirada na nova máquina do MontiNando

Aproveito este post para vos agraciar com um pequeno filme com algumas quedas MontiBikers


Esperemos que no próximo Sabadal o número de Montis seja maior

Abraikes